Topo
K-Pop Pop Pop

K-Pop Pop Pop

Muito especial: TWICE retorna cheia de hits, mais adulta e com Mina

Camila Monteiro

23/09/2019 18h54

Depois de cinco meses do lançamento do excelente Fancy You, as TWICE estão de volta com Feel Special e pela primeira vez eu aguardei ansiosamente por um comeback do grupo. Sempre soube da existência das meninas pois maior grupo feminino coreano, extremamente populares e vencedoras de daesangs, porém foi com Fancy You que eu realmente comecei a me interessar por elas, ver compilados no youtube, entender a dinâmica incrível que elas têm e a trajetória repleta de grandes hits, transformando o grupo em um ícone tanto na Coréia quanto no Japão. Fiz um post mostrando o álbum físico de Fancy You, e é um dos discos mais bonitos e cheios de conteúdo que eu já comprei (veja aqui). Em breve espero ter em mãos o novo disco, que é mais um passo a vida adulta, mais reflexiva, honesta e cheia de hits pop para ajudar a gente a superar 2019.

O disco abre com a faixa-título que foi escrita pelo próprio "JYP", e toda vez que eu leio que ele se denomina "The Asiansoul", confesso que sinto uma certa vergonha alheia. No entanto ele já tem tradição ao escrever os singles das meninas, pois elas são carro-chefe da empresa e vendem mais que praticamente todos os outros grupos reunidos. Feel Special foi escrita em parceria com a australiana Hayley Aitken, que já escreveu para outros grupos de kpop como Girls Generation, Red Velvet, LOONA e VIXX. A música é totalmente feita para pista, um dance pop em sua mais pura essência, abrindo com uma distorção de voz, e toda trabalhada num conceito "expensive"; todas parecem ricas, cheias de jóias, brincos enormes, roupas de festa e com uma cenografia combinando tons dourados e momentos futuristas (Chaeyoung e Mina juntas quebraram o twitter). A entrada do rap de Dahyun na música me lembrou muito Yoongi em Boy with luv, tanto pelo impacto e valor que agrega a música, quanto pelas cores e contexto em que estão inseridos.

Os destaques são vários: Momo sem franja, Tzuyu parecendo uma entidade em que todos somos devotos fiéis, outfit roxo metálico da Nayeon, Jihyo no centro dançando, o cabelo rosa da Sana, Chaeyoung direto de 2084, Mina participando (!!!), o rap incrível da Dahyun e Jeongyeon riquíssima e sábia olhando para as meninas com todo amor que há nessa vida. Aliás, a letra da música é ótima, não apenas feel good mas também focada no amor próprio (farei um post no futuro sobre como eu acho que Bangtan ajudou o kpop nessa mudança) e na importância de amar o outro e dizer. As meninas estão separadas em duplas e Jeongyeon representa a união de todo esse amor, a conexão entre elas.

O álbum ainda conta com outras seis músicas, sendo a última uma versão coreana do grande hit japonês Breakthrough (SAY SAY DON'T GIVE UP pros leigos). Confesso que acho a versão original superior mas ainda assim segue sendo uma das melhores músicas que TWICE já fez na carreira.

Uma das principais características desse disco, que já veio com mais força em Fancy You, é a participação das integrantes nas letras das músicas. Rainbow é trabalho de ninguém menos que Nayeon, e é um jam pop ótimo para aquecer a gente para o que vem pela frente, que considero o trio de ouro do disco: Get loud, Trick it e Love foolish. Abaixo vemos a parte gritinho da Mimi (Mariah Carey) que ainda não temos certeza se é Nayeon e seu gogó ou efeitos de produção.

Depois de passar o dia todo ouvindo o disco cheguei a conclusão de que Get Loud é a minha segunda faixa preferida no momento. E isso é a magia de Jihyo, que escreveu a letra e também foi responsável por uma das melhores faixas de Fancy You, Girls like us. É muito interessante acompanhar o crescimento das meninas como criadoras e ver que elas estão construíndo uma carreira sólida não apenas como performers mas também como letristas, tornando o processo artístico ainda mais valioso aos olhos de quem acompanha a carreira delas.

Trick it tem a mão de Dahyun (e infelizmente a de Melanie Fontana também, americana que escreveu duas linhas de Euphoria de BTS e vendeu a música como se fosse dela para a mídia americana) e segue a linha pop bate cabelo do disco. Não estamos diante de um álbum dream pop, aegyo, fofo, e sim de pop pesado, música para colocar em festa e deixar todo mundo feliz.

Se Get Loud é minha faixa #2, a campeã atualmente é Love Foolish, que assim como HOT em Fancy You, tem letra de Momo e é novamente a melhor b-side do disco, e espero que seja single em algum momento. O destaque, sem dúvidas, é Chaeyoung repetindo "I love you, love you, hate, foolish" com uma frequência totalmente diferente, o que cria uma ruptura na música e transforma um pop comum em um jam ideal para drag queens fazerem lipsync enquanto desfilam por aí.

Por fim, mas não menos importante, temos 21:29, a única balada do disco e que foi escrita por todo grupo, reunido. As fãs teorizaram que significa to once (2:1), to 9 (2:9 integrantes), mas ao que tudo indica apesar de a música ser sentimental e ter uma letra especial para o fandom, o título foi 21:29 pois foi o horário em que elas acabaram de escrever. A música é um presente das TWICE para as ONCEs.

Feel Special é um ótimo disco pop e mais um acerto nesse novo caminho adulto, maduro, com letras mais interessantes que o grupo vem fazendo, sem perder a essência que as meninas possuem e que transformaram elas na força que são. Mina, apesar de aparecer no MV – e estar belíssima – não participou da coletiva de imprensa que aconteceu hoje e não se apresentará nos comebacks televisonados pois ela ainda está se recuperando. Jihyo também não se apresentou hoje pois machucou o pescoço nos treinos, mas abaixo podemos ver que mesmo lesionada ela segue dançando muito bem.

Com dois discos muito bons lançados em 2019 e um single japônes incrível, esse ano foi um grande salto conceitual do grupo, que certamente nessa nova fase está em busca de um público mais diversificado e que aos poucos se conecta e assimila a dinâmica TWICE, e como é incrível adentrar esse universo uma vez que a gente ultrapassa preconceitos (eu mesma tinha vários, achava aegyo desnecessário e cá estou ouvindo TT – a música mais aegyo existente – e fazendo coreografia).

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.

KPop Pop Pop