PUBLICIDADE
Topo

Highlights do MMA e do MAMA 2019

Camila Monteiro

08/12/2019 13h36

Depois de absorver tantas performances em um curtíssimo espaço de tempo, resolvi fazer um top 10 com os momentos que considero principais nas duas maiores premiações asiáticas do kpop: o Melon Music Awards (MMA) que ocorreu na Coréia, e o Mnet Asian Music Awards (MAMA), que ocorreu no Japão. Bastante diferente do ano passado, quando o MAMA teve três diferentes shows, um na Coréia, um no Japão e o último na China, esse ano o evento foi bastante decepcionante. Seria um corte radical no orçamento a razão disso tudo?? Desconfio que um dos principais dramas atuais envolvendo o MAMA é o escândalo da Mnet com um dos seus principais carros-chefe da casa, o reality show que forma grupos de kpop, o Produce 101. Foi confirmado que houve fraude na formação de praticamente todos os grupos que saíram do programa, em especial os dois últimos: IZONE e X1. Vale lembrar que os vencedores anteriores foram I.O.I e Wanna One, ambos extremamente populares e início de idols consagrados atualmente como Chung Ha e Kang Daniel. Todo esse esquema de compra de membros, subornos, exploração de menores e envolvimento de grandes nomes da indústria acabou afetando a produção da premiação. Fora os problemas externos, a falta de química e ensaio dos apresentadores, além do palco ser muito próximo do local onde os idols estavam sentados deixou a dinâmica de tudo muito esquisita. De qualquer forma, MAMA é MAMA, e acompanhamos a premiação apesar de todos os pesares. Em compensação o MMA parece estar cada vez melhor e esse ano, novamente, se mostrou uma produção muito mais competente e coesa do que o MAMA. Ter menos prêmios e um palco mais bonito certamente colaboraram para isso.

Assim, juntei as duas premiações nesse post em um top 10 reunindo momentos mais interessantes, marcantes e que merecem serem revisitados:

10. Muito especial: O stage de ouro das TWICE

Mesmo sem Mina e com Jihyo praticamente fora da premiação – até agora não sabemos bem ao certo o que aconteceu, mas ela voltou para a performance -, as Twice apresentaram um stage com Feel Special versão r&b, mais lenta e moody no MAMA desse ano. Com dançarinos, transições enaltecendo a conexão entre elas, com botas e roupas douradas, o grupo apresentou também o seu outro hit Fancy. A ausência das Twice foi sentida no MMA, onde elas nem compareceram.

9. Heize e sua excelente performance de We don't talk together

Apesar de saber que Heize não é subestimada pela mídia e público em geral, sinto que fora da Coréia ela não é valorizada o suficiente. A cantora é uma das melhores do pop e r&b coreano atual, e na performance do MMA o grande destaque foi a performance de We don't talk together, bastante similar ao MV, com direito a esqueleto no palco. A música foi produzida por Suga de BTS e fez bastante sucesso comercial. Heize mais uma vez mostrou que ela tem conceito e gogó de ouro ao vivo.

8.  JYP acordando todo mundo no MAMA

Seja por bem ou por mal, é inegável que J.Y Park, dono da JYP, acordou todo mundo que estava acompanhando o MAMA 2019, sejam idols ou fãs em casa. A premiação até o momento estava bastante insossa, os idols pareciam de saco cheio e foi só JYP surgir com roupas combinando com Hwasa, para todo mundo ficar atendo ao que estava por vir. JYP dançou e cantou ao lado das Mamamoo e eu até agora não sei o que pensar disso. Desconforto?? Coragem?? Falta de noção??

De qualquer forma, essa performance nos entregou o melhor meme de eventos de fim de ano: a reação de Jackson (GOT7) ao avistar seu patrão sensualizando:

A reação de Jackson viralizou de uma forma, que tivemos até a versão dele congelada no fim de Avenida Brasil:


7. GOT7 e o gogó de ouro do Youngjae

Jackson não foi apenas um ótimo material para meme, como também fez uma excelente apresentação com o restante da GOT7. Recentemente tanto ele quanto Youngjae haviam sido liberados de aparições/performances por conta de problemas de saúde e as fãs estavam preocupadas, porém ambos se destacaram muito no stage do MAMA. Depois de uma série de performances onde o lipsync foi estrela da noite, Youngaje mostrou que dá sim para cantar ao vivo.

6. A magia vampiresca da Seventeen

Quem jamais decepciona em performances é a Seventeen, que mais uma vez fez um stage completamente desprovido de qualquer defeito. Dramático, numa linha meio seita satânica, com direito a capas vermelhas e música erudita, o grupo parecia uma família Volturi muito mais bem sucedida. O que falar dos break dances??? Seventeen é sem dúvida um dos melhores, senão o melhor, grupos de dançarinos no kpop. Fear além de ser uma excelente música, dá a chance de eles mostrarem o talento de todos os integrantes, de forma distinta e providencial.

5. Zona ROTY: Os rookies do ano TXT e ITZY brilham 

Esse ano TXT e ITZY monopolizaram todos os prêmios de rookie do ano, as revelações do kpop. E os stages de ambos os grupos nas premiações nos mostraram que ambos merecem muito os troféus que conseguiram. No MAMA, a Big Hit mostra que sabe fazer stage como poucos, com uma produção muito acima da média, especialmente para um grupo novato. Todos os membros dançam, cantam, fazem rap e se revezam no centro. Ninguém é melhor que ninguém ali, e todos são igualmente ótimos, o que é a priori, a principal força deles até então. O solo final do menino Kai foi um dos destaques pra mim da noite. Já as ITZY se destacaram no MMA com uma performance digna de grupos que já debutaram há muito mais tempo. Seguindo a linha amor próprio – sim a cultura love yourself instaurada por Bangtan teve um efeito enorme e ótimo no kpop -, foi possível perceber o domínio do palco, as coreografias bem executadas e o carisma de todas as integrantes. Dalla Dalla foi um grande sucesso em 2019 e só ficou atrás de Boy With Luv em número de ouvintes e popularidade na Coréia.


4. Mashup da ATEEZ e Mingi de volta…

O stage da ATEEZ já seria ótimo se eles tivessem apresentado apenas Wonderland, um dos melhores singles lançados esse ano, mas obviamente o grupo foi mais além, marca registrada deles, e fez um mashup com clássicos do kpop. A ATEEZ tem tanto bom gosto que eles colocaram Blood, Sweat & Tears e View no mesmo remix. Eu nem tenho palavras diante de tanto acerto. O remix de BST particularmente chamou atenção pois não foi uma cópia de BTS, e sim uma releitura. O melhor foi ver Bangtan adorando a performance e batendo muita palma pro ombro de fora e rebolada do San.

Comos e isso não fosse o suficiente, Mingi retornou ao grupo depois de um hiato para recuperar uma contratura nas costas. E que retorno foi esse???

3. MAMAMOO extremamente HIP

Depois de terem um set de apenas 4 minutos no MMA, o que causou, com razão, um descontentamento generalizado no fandom do grupo, as MAMAMOO brilharam muito no MAMA, com uma performance bem Suicide Squad, com todas parecendo um híbrido de Coringa e Harley Quinn, ao apresentarem o hit HIP no palco. Hwasa havia começado com uma ótima introdução com seu hit solo Twitt, depois tivemos que passar por JYP e finalmente tivemos a performance incrível de HIP. Solar com seu cabelo metade preto e metade amarelo neon merece destaque, além claro, da coreografia. Ver um grupo que sempre foi taxado de "apenas voz" mostrar uma performance completa com coreografia ótima, fala por si só.

2. Duas Chung Has??!!

Por falar em coreografia, hoje em dia no kpop não existe ninguém que exale mais sofisticação e talento ao dançar do que Kim Chung Ha. Se a performance dela no MAMA deixou a desejar, no MMA ela entregou tudo que há de melhor. Conceito, coreografias, duas Chung Has dançando lado a lado, hits marcantes, carisma e muita qualidade nas transições e breaks. Gotta Go é uma música tão boa, com uma coreografia tão marcante, que é impossível não se tornar fã da cantora depois de assistir essa performance.

1. A performance icônica de 37 minutos do BTS no MMA

Eu não sei se existem palavras suficientes para descrever o que foi o show que BTS fez no MMA desse ano. O próprio nome do evento era Map of The Soul: The Show. E foi isso mesmo, um show de Bangtan para ninguém colocar nenhum defeito. Tivemos Intro: Persona ao vivo pela primeira vez, VCRs dando pistas pro comeback, um throwback com Boy In Luv que acabou com o hit atual e música do ano, Boy With Luv, projeções e todo o Universo curvado diante da bonita Mikrokosmos e por fim tivemos Dionysus. O que falar dos solos e do breakdance de Dionysus? Provavelmente a melhor performance que eu já vi em todas as premiações da história, incluindo VMAs, AMAs, BBMAs e todos os As existentes. O nível que BTS se encontra é tão mas tão elevado, que eu só consigo pensar em Beyoncé capaz de entregar algo nesse mesmo nível e dedicação. Os membros se entregam a performance de uma forma tão intensa que ao final da apresentação ficamos cansados só ao perceber a maratona que acabamos de assistir. Essa performance com certeza entrará para a história do grupo, não apenas pela duração e qualidade mas por tudo que envolveu: três meses de planejamento, 270 pessoas trabalhando na produção do palco, 170 pessoas performando com eles, 30 pessoas para fazer cabelos e maquiagens, 218 peças de roupas, um mês para a criação dos remixes de cada música  e especialistas contratados para o tanque de água em que Jungkook dançou. Eu sei que 37 minutos parecem uma eternidade, mas eles passam voando e você jamais se arrependerá de ver, rever e ver pela enésima vez novamente.

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.

KPop Pop Pop