KPop Pop Pop http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música e mídia, amante da cultura pop e uma fã orgulhosa de Bangtan. Thu, 14 Nov 2019 21:38:19 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Multiverso empoderado: momentos icônicos de HIP, novo single de MAMAMOO http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/14/multiverso-empoderado-momentos-iconicos-de-hip-novo-single-de-mamamoo/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/14/multiverso-empoderado-momentos-iconicos-de-hip-novo-single-de-mamamoo/#respond Thu, 14 Nov 2019 21:38:19 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1707 Hoje (14) saiu o aguardado álbum completo das Mamamoo, Reality in BLACK, com 11 músicas e cerca de 35 minutos. O disco mostra a evolução das quatro idols como artistas, envolvidas diretamente na produção, letra e conceito do álbum. Todos que acompanham o grupo sabem que elas são exímias vocalistas e praticamente ninguém tem uma vocal line tão poderosa como elas, porém em RiB elas vão além, principalmente com o lead single HIP, uma música que contextualiza muito bem o disco e a realidade delas como idols numa indústria machista e que persegue mulheres em absolutamente todos os departamentos: roupas, voz, atitude, ocupação de espaços. HIP é o ativismo cada vez mais necessário, com Hwasa, Moonbyul, Wheein e Solar mostrando suas várias facetas em diferentes universos; O Multiverso Mamamoo está entre nós e ele é original, experimental e atual.

Com um disco empoderado sem perder a essência do grupo, gogó de ouro do início ao fim, HIP situa a gente em um momento de libertação e amadurecimento de todas as integrantes. Elas estão cansadas de receberem as mesmas críticas sempre, de serem julgadas e diminuídas e o MV mostra isso explicitamente. Selecionei então os melhores momentos do vídeo que merece ser visto e disseminado.

    • Hwasa mandando recado para a mídia coreana

Hwasa é uma das idols mais populares da Coréia e está sempre tendo suas fotos estampadas por todos os cantos, geralmente junto de críticas as escolhas de suas roupas e por ser “muito ousada”. No MV ela toca em um assunto específico, quando ela foi duramente criticada por não usar sutiã em uma ida ao aeroporto. Com ironia, ela virou presidente e está sendo execrada pela sua escolha. O recado é claro: não importa o cargo que a mulher ocupa, mesmo presidente, ela seguiria sendo perseguida e tendo seu corpo julgado.  Aqui ela mostra que é ousada mesmo, e que a sociedade coreana vai ter que aceitar quem ela é: uma mulher forte e que faz o que quer. 

  • Solar boxeadora

O mais interessante no plot de Solar é que ela começa como uma princesa da família real e acaba optando por lutar boxe, algo considerado pouco feminino. Novamente estamos diante de alguém que vai atrás de seus sonhos sem se importar com rótulos e julgamentos alheios (um dos maiores problemas de qualquer sociedade, principalmente a coreana).

A maior boxeadora que você respeita, Solar (reprodução/youtube)

  • Wheein ativista

Em tempos tão difíceis como o que estamos vivendo, é muito bom ver o ativismo chegando nos nossos idols de coração e no Multiverso Mamamoo temos Wheein bem ativistona, protestando em prol do caos climático que assola o mundo inteiro. Nessa versão ela está em busca de um mundo melhor, expressando seu lado artístico e principalmente político. Isso por si só tem uma importância gigantesca pois as empresas de idols fogem de assuntos polêmicos e envolvimento com causas que muitas vezes vão de encontro com grandes patrocinadores e conglomerados midiáticos.

Wheein ativista (reprodução/youtube)

  • Moonbyul CEO

Por fim temos Moonbyul, rapper principal do grupo, como CEO de uma empresa de kpop. Esse momento é catártico, pois sabemos que a indústria do entretenimento é extremamente machista e ver Byul comandando, em volta de álbuns bem sucedidos espalhados pela parede mostra que nesse Universo, ela não apenas comanda mas faz sucesso. Esse sucesso é importante para mostrar que a ocupação dos espaços pelas mulheres é importante e revolucionário, e que somos capazes e precisamos cada vez mais ocupar ambientes dominados por homens. A ausência de mulheres em tantos cargos não é por falta de competência e sim oportunidade. Moonbyul é a síntese disso. Em seu rap ela canta: “Thanks to everyone who attacked me, up till there it reflects on you. Because of you I gained more strength I’m gonna go prepare for my next album”; por causa dos haters, ela ganhou forças e se prepara para o próximo álbum e consequentemente mais sucesso. 

Moonbyul dona do mundo (reprodução/youtube)

  • Drag Queens??

Solar aparece em três diferentes universos e um deles ela é uma rockstar a la Cruela DeVil meets Beetlejuice, com cabelo e roupa metade preto e branco. Ao seu lado ela aparenta possuir uma banda formada por drag queens. Embora não haja confirmação, a estética está claramente ali, e diante de uma sociedade homofóbica e que clama por mulheres discretas, a cena é outra declaração importante do grupo.

Solar rockstar (reprodução/youtube)

  • Multiverso empoderado

Sem dúvidas HIP não é apenas mais uma música boa do kpop, e sim o início de um projeto que nos traz um multiverso empoderado, cheio de recados dados diretamente ao público e crítica, com as cantoras soltando seus vozeirões de todas as formas: cantando muito e dando a letra para quem constantemente tenta diminuí-las. Seja Hwasa tapando os olhos de uma criança, mostrando a hipocrisia de cada dia, Solar exausta de ser princesa e em busca de novos desafios, Wheein politicamente engajada e Moonbyul mostrando que mulheres podem dominar qualquer ambiente, mesmo o mais machista de todos, Mamamoo está no seu melhor momento. Com a vitória recente no programa Queendom e um álbum sonoramente excelente e politicamente importante, estamos diante de um dos melhores grupos femininos que o pop – não somente o pop coreano – já viu. E que privilégio é poder acompanhá-las.

Hwasa tapando os olhos de uma criança (reprodução/youtube)

Um vrá pra mídia coreana (reprodução/youtube)

Solar era princesa mas resolveu virar lutadora (reprodução/youtube)

Deixo vocês com a performance ao vivo de HIP, e com a novidade que é vê-las cantando sem microfone na mão!!! Quem sabe faz ao vivo, e ninguém faz ao vivo melhor do que Mamamoo:

]]>
0
BTS em suas várias versões em bonecos http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/10/bts-em-suas-varias-versoes-em-bonecos/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/10/bts-em-suas-varias-versoes-em-bonecos/#respond Mon, 11 Nov 2019 00:09:55 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1692 “Quantos bonecos BTS tem?”. Essa foi a pergunta que me fizeram hoje e eu, honestamente, entendo a confusão. Nesse último ano o grupo fez parceria com a gigante do mercado de bonecos Mattel, e apesar das inúmeras críticas quanto as similaridades – ou melhor, falta de – dos bonecos com os membros do grupo, a parceria foi um sucesso enorme e aumentou o número de vendas da empresa em quase 3% em relação ao mesmo mês no ano anterior. Todos sabemos que BTS vende, e vende muito, e a Mattel já havia confirmado que outras versões dos bonecos surgiriam. Aqui na Inglaterra os bonecos já estão sendo vendidos nos supermercados mais populares como Tesco e ASDA, e essa popularização é importante e interessante, levando em consideração as roupas diferentes, coloridas e fora do padrão masculino que a gente costuma ver em bonecos. Antes de lançarem os primeiros bonecos com a marca, na versão do MV de Idol, o grupo havia lançado pop funkos, aqueles mini bonecos cabeçudos e extremamente populares (e altamente colecionáveis).

Atualmente o grupo tem três versões em bonecos: os pop funkos com roupas do photoshoot versão F do disco Love Yourself Answer, os bonecos da Mattel com as roupas de Idol e por fim os mini bonequinhos, também da Mattel, que foram lançados na House of BTS, loja temporária de vários andares que a Big Hit montou em Seoul. A loja é uma experiência para as Armys, com cenários dos vídeos, roupas exclusivas – e belíssimas -, café, Army Bombs gigantescas nas ruas para serem fotografadas e toda uma estrutura de deixar as armys pelo mundo inteiro com vontade de pegar o primeiro avião rumo a Coréia do Sul. A loja infelizmente funcionará por 80 dias apenas (espero que eles mudem de ideia e deixem para sempre lá pois merecemos sonhar em conhecer um dia). De todos os bonecos lançados até então, os últimos são os mais fofos e ganharam um vídeo que enche o coração. Abaixo temos imagens de tudo o que expliquei aqui, incluindo a versão especial que a Mattel lançará dos bonecos de Bangtan, com roupas do conceito S de LY Answer. Essa versão é bastante diferente da de Idol, pois os bonecos possuem bem mais detalhes, sapatos especiais, poses diferentes, roupas superiores e preços mais salgados (o boneco de Idol custa em média 13 libras e esse novo custará 40).

Pop Funkos

Funkos e sua inspiração, versão F do disco LY Answer

RM, Jin, J-Hope (em cima) Suga e Jimin (no meio) e V e Jungkook (embaixo)

Bonecos grandes da Mattel

Bonecos em sua versão Idol:

Bonecos de BTS para Mattel (reprodução/Paul Jordan/Susan Kurtz)

MV que inspirou o look dos bonecos:

As roupas de IDOL inspiraram a primeira leva de bonecos da Mattel (reprodução/BH)

Armys tentando “consertar” o cabelo dos bonecos, claramente o maior problema que a Mattel está tendo até então e que infelizmente descaracteriza o brinquedo.

Versão dos bonecos estilizada por fãs

Abaixo temos a versão especial, com as roupas de Love Yourself Answer, ensaio S. Os detalhes chamam atenção pela perfeição. Agora só falta acertar o cabelo.

Versão especial dos bonecos da Mattel

Ensaio S de LY Answer:

Conceito S de LY Answer que serviu de inspiração para a edição especial dos bonecos

detalhe da roupa do Yoongi

detalhe do sapato do boneco do Jimin

boneco do Jungkook fazendo saranghae

House of BTS 

Os bonecos mais fofos lançados até então ganharam esse vídeo igualmente fofo:

E BTS visitou a House of BTS e todos eles posaram com seus respectivos bonecos. Namjoon, Taehyung e Little Hope Right Here são os meus preferidos:

]]>
0
7 “killing parts” de coreografias de 2019 que merecem destaque http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/10/7-killing-parts-de-coreografias-de-2019-que-merecem-destaque/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/10/7-killing-parts-de-coreografias-de-2019-que-merecem-destaque/#respond Sun, 10 Nov 2019 17:01:36 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1688 O que não faltam são coreografias incríveis no kpop, e 2019 apesar de ter sido um ano complicado pra indústria, também foi um ano de muitos momentos icônicos nas danças dos nossos grupos preferidos. Em toda performance existem os momentos denominados “killing parts”, aquela parte da coreografia que se destaca das outras, seja pelo timing, pelo idol que está dançando, pela interpretação ou por todos os fatores combinados. Reuni aqui sete coreografias excelentes e suas “partes matadoras”, que fazem a gente voltar, reassistir e até mesmo aprender os passos para emular tamanho momento.

  • Mingi em Wonderland (ATEEZ)

Toda coreografia de Wonderland é ótima, mas sem dúvidas o break final é o grande destaque da performance. San e Yunho também estão ótimos nesse momento mas é Mingi marchando com cara de quem vai destruir nossas vidas – e tudo que está na frente dele – quem manda no palco.

  • Nayeon em Feel Special (TWICE)

Desconheço grupo que possua mais coreografias copiáveis do que TWICE. O MV mal estreia e todo mundo já vai pegando e decorando os passos tal qual Lady Gaga em sua era Monster. Na maioria das vezes Momo, a grande dançarina do grupo, é quem chama a minha atenção junto com Jihyo porém em Feel Special Nayeon tem seu grande momento, combinado com um outfit lavanda-Barbarella-futurista e dancinha que jamais sai da cabeça e dos braços.

  • Vernon em Fear (SEVENTEEN)

Seventeen é conhecido por ser um dos melhores grupos no quesito coreografia e em todos os comebacks, um dos momentos mais aguardados é justamente ver qual a nova arte criada pelos membros. Fear é um MV repleto de killing parts (Jeonghan estou olhando para você) porém ao falarmos de dança, a reboladinha do Vernon seguida de todo grupo rebolando, e repetida novamente no fim da música, é o grande momento do vídeo.

  • Ten em Moonwalk (WayV)

Saindo brevemente do kpop e adentrando no universo cpop, temos ele, Ten, figura onipresente nos grupos da SM (NCT, Wayv, SuperM) e provavelmente o melhor dançarino da empresa atualmente junto com Taemin e Jongin (Kai). Não a toa ele é dono de praticamente todos os breakdances. Em Moonwalk, novo single, recém lançado da WayV, Ten mais uma vez mostra todo seu talento de dançarino principal numa sequência incrível que envolve jaquetas no espaço e todo grupo dançando junto com ele.

  • Minnie em Lion ((G)I-DLE)

Todas as integrantes de IDLE poderiam estar aqui pois Lion é um MV repleto de grandes momentos visuais. Geralmente Soyeon é quem chama mais atenção e possui as killing parts de praticamente todos os comebacks do grupo porém Minnie vem em uma crescente e Lion consolidou ela como uma força a ser reconhecida. A combinação da voz, dos visuais e principalmente da coreografia sutil com as mãos, Minnie nos convence 100% de que ela é realmente uma leoa.

  • Jeno em Boom (NCT Dream)

Boom foi um grande passo na carreira da NCT Dream, que amadureceu bastante nessa nova fase. Todos os membros possuem uma química ótima e dançam com uma precisão que chama atenção. Se Jaemin é dono da killing part cantada, com seu ice cream, Jeno é sem dúvidas o dono e proprietário da killing part dançada, novamente, no break final. Todas as performances de Boom eu confesso que aguardo ansiosamente por esse momento.

  • Jimin em Dionysus (BTS)

Dionysus é uma coreografia tão elaborada e bem pensada que qualquer parte dela poderia estar aqui. Seja a rolada na mesa da maknae line, Hoseok, Jungkook e Taehyung rodando, Namjoon pulando das escadas e nos questionando se estamos prontos, tudo funciona muito bem com a música. No entanto Jimin, sempre ele, é dono de mais uma killing part nas coreografias de BTS, com sua rebolada inesquecível. Abaixo trago um compilado feito por alguma army talentosa:

]]>
0
Taeyang e Daesung finalizam serviço ao Exército http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/10/taeyang-e-daesung-finalizam-servico-ao-exercito/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/10/taeyang-e-daesung-finalizam-servico-ao-exercito/#respond Sun, 10 Nov 2019 14:57:47 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1681 Ontem (9), Taeyang e Daesung, os últimos integrantes da BIG BANG ainda servindo, foram liberados pelo Exército. Duas semanas depois da liberação de G-DRAGON, o grupo – ou melhor, o que restou dele – está livre para voltar a ativa.

Daesung e Taeyang sendo liberados do Exército coreano (reprodução/twitter)

Taeyang e Daesung, assim como TOP foram recebidos por dezenas de VIPs, as fãs do grupo. Nada se compara ao megaevento que foi feito para GD, mas Jiyong é um ícone do kpop e uma força da indústria muito pela sua carreira solo, o que explica as diferenças tanto de cobertura da mídia quanto de número de fãs no evento. No entanto nem o clima de frio e vento impediu as fãs de irem recepcionar os idols, que organizaram até caminhões distribuindo café para as VIPs suportarem o frio.

Daesung e Taeyang com as VIPs (reprodução/twitter)

Os cantores foram os últimos a servirem, uma vez que Seungri, que era maknae da BIG BANG, foi retirado do grupo após envolvimento no escândalo da boate Burning Sun, onde ele era sócio. A ida do grupo ao Exército foi marcada por grandes confusões, a primeira delas envolvendo TOP, consumo de drogas ilícitas, tentativa de suicídio, aumento de tempo de serviço em decorrência de tudo isso (e transferência de setor). Já GD sofreu diversas acusações de ter a vida facilitada e mais folgas do que os colegas. Enquanto os quatro serviam, tudo parecia estar indo bem para o então integrante mais novo do grupo, que finalmente lançou sua carreira solo. O envolvimento do dono da YG e de Seungri em uma série de crimes que ainda estão sendo investigados pela polícia decretou a saída do cantor da vida pública, algo que para nós no Ocidente não é muito normal, mas na cultura asiática é uma forma de sair de circulação e manter a honra de quem fica (os outros integrantes do grupo).

TOP desde que saiu do Exército sofre muita retaliação por tudo que houve durante o seu período de serviço. É vítima constante de ódio em seu instagram pessoal e dá a entender que existe a chance de ele não voltar ao mundo do entretenimento. G-DRAGON saiu faz pouco tempo e existe uma expectativa muito grande que ele “salve” os grupos da YG e crie sua própria companhia, ou então compre e reformule totalmente a YG, que perdeu totalmente a credibilidade devido aos últimos acontecimentos e crimes federais cometidos pelo seu então dono, que agora se afastou do cargo.

Com tantos problemas graves, muito se especula e pouco se sabe em relação ao futuro do grupo que foi um dos maiores marcos do kpop. Estaria Jiyong disposto a ter tanta responsabilidade e criar uma gravadora? Será que eles tem intenção de voltar como BIG BANG? Estaria TOP confortável para retornar ao grupo depois de tanto ódio do grande público? Agora com todos os membros livres do Exército, teremos respostas para essas perguntas em um futuro não tão distante.

Saída de GD do Exército (reprodução/instagram)

 

TOP recebendo fãs após cumprir seus serviços (reprodução/twitter)

]]>
0
Rewind: Top 10 melhores episódios de RUN BTS http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/09/rewind-top-10-melhores-episodios-de-run-bts/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/09/rewind-top-10-melhores-episodios-de-run-bts/#respond Sat, 09 Nov 2019 23:49:38 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1672 Na seção rewind de hoje não trago um apanhado sobre a carreira de nenhum idol mas sim uma lista com os melhores episódios do programa de variedades de BTS, o RUN. O programa foi ao ar pela primeira vez em 2015 e já está indo para o seu episódio número 90. O contexto da criação do show não é dos mais positivos, pois Bangtan sofreu uma série de boicotes dos canais de tv coreanos, com tratamento diferente por não pertencerem a nenhuma empresa grande (na época SM, YG e JYP ainda dominavam o mercado). Os tempos mudaram, BTS se tornou o fenômeno que é hoje, e ao invés de se submeterem aos programas que pouco se interessavam em acolhê-los, eles ganharam seu próprio show. E o que vemos no RUN? A resposta é: absolutamente tudo, principalmente jogos que não entendemos as regras – nem a gente e nem os membros – mas rimos do mesmo jeito. Nesses quase cem episódios que o grupo já gravou existem momentos inesquecíveis que se tornaram marcos na carreira memética de Bangtan. Abaixo listei 10 episódios essenciais para quem quer assistir (ou reassistir, pois é inevitável) o programa.

10. Park Jimin acaba sua amizade com Kim Taehyung (EP. 88)

O episódio mais recente da lista é também um dos mais engraçados, com os membros precisando colar adesivos nas costas uns dos outros – cada um tinha um alvo específico – para ganhar no fim uma scooter. Jimin acreditando em Taehyung, mestre na arte de enganar nos jogos, Jin roubando os adesivos de Jimin e sofrendo as consequências e a ira de Chim Chim, Jungkook correndo mais que Usain Bolt e quase matando o câmera que o acompanha, Yoongi se escondendo pelos cantos tal qual um gato… são tantos momentos engraçados que é preciso ver umas três vezes para absorver esse entretenimento de qualidade.


9. Quando a palavra proibida do Hobi era… rir (EP. 65)

Hobi é sem dúvidas uma das melhores coisas que acontece no Run, de forma geral, pois ele faz os melhores efeitos sonoros além de ter medo de muita coisa (montanha russa, zumbis, sustos em geral). No programa que eles selecionam palavras proibidas para os membros dizerem caso contrário eles levam água na cara, Bangtan se uniu e sacaneou o Sol, proibindo ele de rir. Ou seja, cada vez que Hobi ria, ele levava um jato de água na cara. Mais engraçado que isso só fato de ele demorar para perceber que rir era a “palavra” proibida dele. O vídeo abaixo define perfeitamente o momento: Hoseok levando jato de água na cara e o restante de BTS rindo por 3 minutos. Dê o play e melhore o seu dia instantaneamente:

8. Ah o Karaoke… (EP. 56)

Sempre que tem karaoke no Run é a certeza de caos generalizado, coreografias insanas, perucas, tiaras e outros objetos duvidosos além de Namjoon provavelmente quebrando alguma coisa (geralmente o microfone). Considero o vídeo abaixo um dos auges no karaoke pois Yoongi estava 100% indisposto enquanto todo mundo cantava e dançava, até que na vez dele tudo muda, ele escolhe uma música emo-anime-rock-asiático-trilha-de-filme e nos entrega uma performance maravilhosa, cheia de drama e muitos berros. Performer do ano Min Yoongi.


7. Porque ver pessoas caíndo é infelizmente muito engraçado (EP. 84)

Só de lembrar desse episódio eu to aqui digitando e rindo, principalmente com Kim Taehyung caindo várias vezes e virando meme por toda a internet. Se karaoke é certeza de sucesso, as idas aos parques aquáticos também trazem sempre conteúdo de ótima qualidade e dessa vez foi além do esperado. Temos o já clássico Todos vs Jungkook, com todos perdendo, logicamente, além de muitas quedas, Jimin nadando fofinho, Jin e Yoongi tentando impedir o sucesso de JK – sem sucesso – além é claro de mais e mais quedas. Infelizmente ver outras pessoas caíndo é engraçado sim, Faustão taí pra comprovar que funciona. Quando é algum dos Bangtan fica ainda mais hilário (claro, só é engraçado quando ninguém se machuca).

6. LACHIMOLALA (EP. 41)

Provavelmente O maior meme já viralizado do Run, o episódio em que os membros colocam fones de ouvido e precisam ir passando a palavra adiante, sem ouvir direito o que foi dito, apenas com seus dons de leitura labial, já entrou nos grandes clássicos RUN BTS. E Park Jimin é a grande estrela do episódio por ser incrivelmente ruim lendo lábios e consequentemente entregando os resultados mais hilários possíveis. Como carbonara virou a icônica lachimolala? Só Cher sabe a resposta disso, o importante é que o Jin entendeu que Lachimolala é carbonara portanto, de alguma forma, o raciocínio do Jimin fez sentido.

5. A revolta de Kim Namjoon (e Jimin sendo Cultura Sonserina) (EP. 47 & 48)

Aqui temos um episódio que, honestamente, só é compreendido plenamente depois que vemos ele umas duas vezes no mínimo. Isso porque estamos diante de um jogo que se passa numa Vila imaginária, em que cada membro é um personagem com uma função (policial, padeiro, etc) e eles precisam descobrir qual deles está “infiltrado” no jogo como espião. Como previsto, a melhor parte do programa é quando as acusações começam e ninguém acredita no Jin. A dinâmica é engraçadíssima, Namjoon surtando é hilário – pois quase nunca vemos ele assim – e Jimin mostra com sucesso como ele é a mais pura Cultura Sonserina.

4. A importância de pular no timing certo (EP. 33)

Que os integrantes de BTS se divertem muito juntos, isso já estamos cansados de ver e rir junto com eles, mas nesse episódio do Run eles foram além e literalmente se jogaram no chão de tanto que eles gargalhavam. Isso porque, em pares, eles precisavam pular no tempo certo e fazer uma pose para câmera (feliz, triste, brabo, etc). A expressão era a parte mais fácil, porém pular no timing se mostrou uma tarefa bem mais complicada do que o previsto, principalmente pros hyungs do grupo Jin e Yoongi. As dezenas de tentativas frustradas geraram fotografias engraçadíssimas e passamos a maior parte do episódio tentando não engasgar rindo de toda situação.

3. Cachorros e todos apaixonados por Miri (EP. 23)

Cachorros e BTS. O que pode ser melhor que essa combinação??? R: Nada. Nesse episódio os integrantes competem para ver quem tem mais sucesso com seus cachorros adestrados. O início já é extremamente fofo com os próprios cachorros escolhendo cada membro, em seguida eles treinam todos juntos e o Run sempre nos mostra como Bangtan é engraçado naturalmente. O fato de Adam, o cachorro do Jin, não obedecer ele jamais deixa o episódio ainda melhor. Miri, a poodle de Jungkook, acaba conquistando o coração de todo mundo, membros e público. É daqueles episódios que trazem uma paz e são ótimos de rever sempre que a gente não está num dia bom (eu já vi mais de quinze vezes).

2. Zumbis e Hobi perdendo sapato (EP. 24)

Esse episódio tem um lugar especial no meu coração pois foi o primeiro que assisti e teve uma importância grande em estabelecer uma conexão maior com cada integrante do grupo. Todos brilham mas Hobi, novamente, é o destaque do episódio, principalmente no início quando ele perde o sapato. É cada berro, corrida, susto. Jimin, Hobi, Jin e Yoongi são claramente os mais medrosos e portanto o melhor entretenimento. Enquanto isso Jungkook, Tae e Namjoon praticamente viram amigos dos zumbis. Taehyung elogiando a atuação de um deles é um grande momento.

1. TOMATO!!! (EP. 31)

O clássico dos clássicos. De todos os 89 episódios do programa, não existe nada que defina melhor o que é o Run do que o episódio do Tomato. E obviamente esse não é o nome nem a descrição do episódio, mas é como 99% das pessoas lembram desse famigerado dia, em que BTS teve que cantar a música do Tomato e simplesmente não conseguia (é uma música clássica de crianças e eles precisavam lembrar da letra, o que claramente não aconteceu). A frustração dos membros, a irritação do Jimin, Jungkook praticamente dormindo em pé, Yoongi apresentando e se divertindo com o fracasso alheio, o entusiasmo inicial de Hobi e Namjoon desaparecendo a cada erro somado, tudo é entretenimento da mais alta qualidade. O impossível é conseguir tirar a música do Tomato da cabeça. Boa sorte.

]]>
0
Playlist da semana: Baladinhas Boas http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/09/playlist-da-semana-baladinhas-boas/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/09/playlist-da-semana-baladinhas-boas/#respond Sat, 09 Nov 2019 09:12:15 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1670 Depois de uma playlist mais agitada e cheia de hits com coreografia, essa semana fiz um set com várias músicas mais calmas e tão ou mais poderosas que os singles principais, apesar de muitas terem ficado na geladeira sem maiores explicações (kingdom come estou olhando para você). Normalmente uma música desencadeia a minha ideia para a playlist inteira e dessa vez foi Heartbeat, a música principal do jogo de BTS, o BTS World. É inacreditável que uma canção com essa qualidade não tenha entrado em um comeback pois além de bonita tem uma das melhores bridges dos últimos tempos (MY HEAAAAAAART IS ON FIIIIREE FOR YOUR LOOOOOOOOOOVE, assim mesmo). Já ending scene é uma das melhores canções da IU em um álbum repleto de sucessos (e sim eu também amo o cover do Jungkook). GD pode ter ficado famoso pelas músicas eletrônicas bate cabelo combinadas com moda, cores e uma pitada de loucura mas é quando ele para e escreve uma balada que eu sinto a dor e genialidade dele. If You e Untitled são bons exemplos, e o vídeo ao vivo da segunda é de partir o coração. O restante do set tem as Red Velvet na sua fase mais Velvet – e superior -, Kyungsoo (EXO) nos presenteando antes de ir servir, EXO, BTS, NCT 127, um pouco de c-pop com a excelente Love Talk da WayV (versão original em mandarim pois muito superior a versão em inglês), além da ótima unit JUS2 (GOT7), as rookies TXT e ATEEZ e os brilhantes solos de Namjoon (RM) e Taemin.

]]>
0
5 highlights da semana no KPOP http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/08/5-highlights-da-semana-no-kpop/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/08/5-highlights-da-semana-no-kpop/#respond Fri, 08 Nov 2019 14:55:09 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1665
  • CL está finalmente livre da YG

A melhor notícia dessa semana sem dúvidas foi saber que Lee Chaerin (CL) está finalmente livre da YG. A empresa vem em queda livre com as acusações de lavagem de dinheiro de Yang Hyun-suk e o escândalo da boate Burning Sun, que envolveu Seungri da BIG BANG e uma série de outros artistas que compartilhavam imagens de mulheres sendo abusadas sexualmente em um grupo do kakao (whatsapp coreano). Após o fim da 2NE1, CL teve uma série de projetos engavetados pela empresa e passou os últimos tempos na “geladeira”. Sendo o ícone que ela é, o fim do contrato e início de uma nova era para a rapper foi motivo de comemoração generalizada do kpop:

A expectativa agora é que ela assine com a PNATION, nova empresa criada por PSY, que contratou todos os idols que se livraram ou foram expulsos (HyunA e Dawn) de suas respectivas empresas. Com as produções que Jessi, HyunA e Dawn apresentaram recentemente, esse caminho seria uma solução ideal para CL. Resta aguardar e ver quais serão os próximos passos da rapper, agora livre para fazer o que ela quer.

    • O comeback da EXO está próximo

EXODUS é página virada e agora estamos diante de EXODEUX, o novo conceito apresentado pela EXO para o comeback do grupo que acontece no próximo dia 27 de novembro. Em um teaser que mais parece trailer de um novo video game, o grupo mostra Suho, Baekhyun, Chen, Chanyeol, Kai e Sehun com lentes de contato bizarras, cabelos coloridos, roupas que deixariam Effie Trinket de Jogos Vorazes com inveja, tudo isso com planetas se alinhando, DNA e Suho sem camisa… o grupo divulgou o calendário de divulgação até o dia do lançamento e entre os dias 11 e 25 serão lançadas fotos teaser dessa nova fase. Mesmo sem Lay (estaria ele ainda no grupo?) e D.O. e Xiumin que estão servindo no Exército, o grupo voltará com um álbum completo com 10 músicas.

    • IZ*ONE e X1 saem de circulação em meio ao escândalo do Produce 101

A vida anda bastante complicada para os fãs da IZ*ONE e da novata X1, ambos vencedores de suas respectivas temporadas do reality show da MNET, Produce 101 (Produce X 101). Há alguns meses a história de corrupção no sistema de votação do programa vem crescendo e se desenrolando em problemas muito maiores, o mais recente deles, que saiu essa semana, é sobre o envolvimento de um dos produtores principais em um esquema de troca de favores sexuais (exploração) para definir a composição final dos grupos. As investigações prosseguem e estão sendo mantidas em sigilo, porém os grupos vencedores das edições “corrompidas” já estão sofrendo backlash, com cancelamento de aparição em programas de TV, comeback e futuro incerto em participações nas premiações de fim  de ano. Tanto IZ*ONE quanto X1 são extremamente populares pois o reality é um dos programais mais vistos na Coréia. Por ser da MNET, considerado O canal de kpop, eles são constantemente promovidos e os idols viram nomes recorrentes na mídia, seja cantando, apresentando ou atuando. Com toda essa confusão atual, os grupos foram praticamente tirados de circulação sem maiores explicações, e ao que tudo indica, enquanto as investigações não terminarem, eles seguirão em hiato forçado.

    • G-DRAGON faz parceria com a Nike

Jiyong mal saiu do Exército e já está trabalhando, surpreendendo um total de zero pessoas, afinal esse sempre foi o modus operandi de G-DRAGON. O rapper fez uma parceria com a Nike para lançar a PEACEMINUSONE (marca dele) no famoso modelo Air Force 1. Infelizmente o modelo será vendido apenas na Coréia do Sul e limitadíssimo pois a exclusividade dessas parcerias é um dos grandes atrativos para os colecionadores. No instagram de GD dá para ver várias imagens e referências que ele vem postando, com muitas margaridas, símbolos da paz e tons avermelhados.

View this post on Instagram

 

#παράνοιse

A post shared by 권지용 (@xxxibgdrgn) on

um dos tênis da nova coleção da Nike com GD (Reprodução/twitter)

    • Bon Voyage 4 volta no fim de novembro 

A nova temporada do reality show de viagens de BTS está quase entre nós, e tem seu primeiro episódio marcado para ir ao ar no próximo dia 19 de novembro. Depois de irem para a Escandinávia, Havaí e Malta, o grupo vai para o frio e neve da Nova Zelândia nessa nova edição. A Big Hit já divulgou dois teasers do programa, que pela primeira vez passará no Weverse, app criada pela empresa, reunindo uma espécie de fancafe internacional, banco de imagens e merchan dos grupos da empresa.

O teaser divulgado hoje (8) com Yoongi, Tae e Jin cantando música da T-ARA, enquanto o restante do grupo escuta a performance via walkie-talkie já dá o tom do que nos aguarda.

]]>
0
Brexit means Brexit: BRITs ignora grupos internacionais e Simon cria UKPOP http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/07/brexit-means-brexit-brits-ignora-grupos-internacionais-e-simon-cria-ukpop/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/07/brexit-means-brexit-brits-ignora-grupos-internacionais-e-simon-cria-ukpop/#respond Thu, 07 Nov 2019 13:30:33 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1660 Simon Cowell conseguiu algo que parecia impossível: reunir todos os fandoms de grupos coreanos em um único sentimento de muita vergonha. Isso pois o eterno-jurado-de-realities teve coragem de publicar, ao lado de seu pet – tão constrangido quanto a gente assistindo – que está em busca de pessoas para formarem um grupo, seja para uma girl ou boyband. O vídeo entra em território altamente vergonhoso e preconceituoso quando Simon fala em concorrer com “a dominação mundial do kpop”, criando assim o que ele, sem nenhuma cerimônia, denomina UK POP. Sim você leu certo, um britânico conhecido por ter criado uma das boybands ocidentais mais famosas de todos os tempos, o One Direction, além de figura central em programas extremamente populares como American Idol, XFactor e Britain’s Got Talent – praticamente todos os realities musicais existentes -, achou de bom tom cunhar um termo sobre algo que essencialmente sempre existiu.


Isso seria o suficiente para gerar críticas por todos os lados – exatamente o que aconteceu – porém a situação ficou ainda mais triste e clara, quando horas antes, o BRIT Awards, uma das maiores premiações de música do Reino Unido, anunciou grandes modificações nas categorias de votações do evento. A maior delas é a retirada da categoria Melhor Grupo Internacional, onde obviamente todos os grupos de kpop entrariam. Em um ano onde BTS esgotou Wembley, cuja capacidade é de 90 mil pessoas, não apenas uma mas duas vezes, além de ter conseguido o #1 lugar com Map of The Soul: Persona nas paradas e vários grupos fizeram shows lotados no país (Monsta X, NCT 127, GOT7, ATEEZ, etc). O BRITs não apenas extinguiu a categoria, como deixou claro que focaria em artistas britânicos apenas. O brexit nunca fez tanto sentido (e o gatekeeping também).

BTS em Wembley (reprodução/Big Hit)

Como alguém que mora na Inglaterra há mais de quatro anos e acompanha praticamente todos os realities musicais há mais de uma década, posso dizer que estamos diante de mais um caso “desapontada mas jamais surpresa”. O “império” de Simon vem em queda livre desde que One Direction se separou em 2015. Além do claro descontentamento dos ex-integrantes com o processo criativo e direcionamento dos discos, houve também conflito entre Simon e as Little Mix, que também tinham carreiras administradas pela SYCO, companhia criada pelo empresário. No fim de 2018 o grupo finalmente conseguiu se libertar do contrato com a firma de Simon. O irônico ao percebermos o descontentamento dos artistas com contratos ruins e falta de liberdade criativa e pessoal é a constante utilização desses mesmos problemas para destruir o kpop e suas “fábricas de idols”. Aqui vemos claramente que não estamos diante de um problema do kpop, e sim da indústria do entretenimento como um todo. É o capitalismo no seu pior e colocar isso na conta de uma única indústria não é somente irresponsável como também reforça preconceitos e estigmas.

Simon não apenas foi incapaz de replicar o sucesso de One Direction – que, para quem acompanhou XFactor na época, sabe que nem foi ele quem montou o grupo. Nicole Sherzinger (Pussycat Dolls) teve a visão ali – como atualmente acumula fracassos de audiência em seus programas. O XFactor UK era o programa mais assistido da Inglaterra em seu tempo de ouro, responsável por fazer nomes famosos como Leona Lewis, Cher Lloyd, Olly Murs, 1D, Alexandra Burke, JLS e James Arthur despontarem no mercado fonográfico. De lá pra cá a audiência foi cada vez diminuindo mais e hoje ninguém que aparece no programa faz sucesso. A última tentativa desesperada de Simon foi a criação do X Factor Celebrity, com subcelebridades competindo no programa. Além de qualidade infinitamente inferior, o programa não funcionou com o público britânico. É compreensível o desespero de Simon, que por mais de uma década criou uma imagem de O JURADO de realities musicais e se tornou uma figura muito popular pelas suas opiniões negativas e polêmicas (na maioria das vezes bastante grosseiras). Vivemos em tempos diferentes e o que antes funcionava, todo seu personagem e mise-en-scène que ele fazia em cada show, se tornaram sinônimo de humilhação e mau gosto.

Lembro no início de 2018, logo quando Love Yourself: Tear tinha saído, de ir até a HMV, a maior rede de lojas de discos do país – que, junto com outras empresas, fechou várias lojas por falência, outro sinal do Brexit – e perguntar se eles tinham o álbum. Ninguém sabia direito quem era BTS e tinham um entendimento muito superficial de kpop. Com o sucesso do disco, e o lançamento de MOTS, tudo mudou; a loja abriu uma seção só com discos de BTS em suas mais variadas versões. Agora no fim de 2019 a expansão foi ainda maior, com uma seção inteira dedicada ao kpop, incluindo vários grupos e solistas, além de pôsteres de BT21 (personagens criados por BTS), canecas e biografias do grupo. Esse crescimento incomoda muito quem não está disposto a entender a força do pop coreano. Entramos num looping eterno das mesmas meia dúzia de comentários xenofóbicos que repetem comportamentos que eu, você e todo mundo que gosta de kpop, está cansado de ler. Simon é a versão famosa e rica do comentarista de portal que escreve textão sobre algo que não conhece pois mexe com o status quo. Para pessoas como Simon é fácil replicar o sucesso de BTS, pois tudo é igual, todas as músicas são ruins e semana que vem outro grupo surgirá. Eu poderia citar a série de equívocos que envolve toda essa narrativa claramente criada para gerar caos e buzz mas irei apenas observar atentamente como essa ideia “inovadora” se desenrolará. Talvez Simon um dia entenda que o que ele precisa replicar não é um novo BTS e sim uma base de fãs tão interessada e engajada quanto as Armys. E para isso ele precisa de talento, treino, carisma, dedicação e alinhamento dos planetas. Boa noite e boa sorte Simon…

]]>
0
Seria Timothée Chalamet Army? http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/05/seria-timothee-chalamet-army/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/05/seria-timothee-chalamet-army/#respond Wed, 06 Nov 2019 00:37:11 +0000 http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1541 Faz um tempo que eu venho salvando fotos do Timothée Chalamet  desfilando nos tapetes vermelhos por aí, sempre diferente, com ternos e acessórios mais ousados que o habitual – leia-se homens vestidos todos iguais – e fazendo críticos de moda, fãs e pessoas que nem sabem direito quem ele é, repararem nos seus looks. Depois de ver o ator usando um terno similar ao de Namjoon (mostrei abaixo), percebi que diversas roupas utilizadas por Chalamet são bastante similares aos outfits dos integrantes de BTS, em especial Kim Taehyung, que costuma usar coisas mais fora da caixa do que o restante dos membros (ele e Hoseok quase sempre usam roupas hit ou miss). Assim que percebi o padrão fui atrás para ver quem era a stylist de Timothée e fiquei surpresa ao ler que ele não tem nenhuma; ele mesmo escolhe as roupas que veste, pois sempre se interessou por moda e gosta de combinar artistas locais, com grandes marcas de alta costura que atualmente devem brigar para tê-lo usando qualquer peça que seja. Portanto fiz um compilado de looks Timmy going Bangtan já me questionando se ele conhece o grupo, se inspira nas roupas ou é apenas uma coincidência repleta de bom gosto e pequenas grandes extravagâncias.

Timothéé e Taehyung emanam a mesma energia “fico-bem-com-qualquer-pedaço-de-pano”, portanto um terno vermelho e camisa de bolinhas são peças até discretas se pensarmos no que ambos vestem habitualmente.

Quem vestiu melhor? Park Jimin ou Timothée Chalamet? R: A resposta certa é sempre Park Jimin, com pitadas de Chalamet.

Segurar um look inteiro branco, principalmente de terno, não é uma tarefa fácil. Existe uma linha tênue entre se destacar e modernizar ou parecer velha guarda de escola de samba. Tanto Yoongi quanto Timmy passaram no teste com louvor.

Abaixo temos o momento em que eu comecei a perceber que existia uma semelhança bastante grande na composição de looks de Bangtan e Timothée. Com cintura marcada e terno bem cortado, apesar de o terno do Namjoon ser superior, Timothée ousou mais na cor e está usando uma bota que deixaria Park Jimin com inveja.

E a moda harness, que gerou um buzz no Ocidente como uma grande novidade, mas que pra quem acompanha kpop já sabe que nada mais normal e desejado do que ver idols usando diferentes tipos, formatos e tamanhos do acessório. Aqui temos Jungkook e seu harness mais tradicional com fivelas e spikes enquanto Chalamet usa um brilhoso que parece uma espécie de cinto de segurança de montanha russa.

Também temos roupas literalmente iguais, como essa jaqueta tie-dye da Saint Laurent icônica que Yoongi usou em Fake Love.

E para finalizar, novamente ele, Kim Taehyung e sua camisa branca com flores vermelhas. Timothée inovou com terno e camisa brancos cheios de mini laços vermelhos, e o efeito é similar apesar de motivos distintos. Pelo visto Tae e Timmy se entenderiam muito bem em uma eventual saída para comprar roupas pois ambos têm um gosto similar e nada óbvio.

Agora com as promoções do novo filme de Timothée, The King, as chances de mais looks Bangtimmy acontecerem é ainda maior e servirão para um próximo compilado para fortalecer a minha teoria de que, de repente, Chalamet é Army.

]]>
0
HyunA e DAWN estão finalmente livres em seus novos projetos solo http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/05/hyuna-e-dawn-estao-finalmente-livres-em-seus-novos-projetos-solo/ http://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/2019/11/05/hyuna-e-dawn-estao-finalmente-livres-em-seus-novos-projetos-solo/#respond Tue, 05 Nov 2019 12:20:13 +0000 https://kpop-pop-pop.blogosfera.uol.com.br/?p=1652 Finalmente chegou o dia do lançamento das novas carreiras solo de HyunA e E’Dawn, que agora virou apenas DAWN. Depois da Cube, ex-gravadora de ambos, ter finalizando o contrato do casal porque eles admitiram que estavam em um relacionamento há 2 anos – sim, foi isso mesmo que aconteceu – PSY, em sua recém inagurada empresa, a PNATION, contratou os dois idols, que resolveram ter comeback no mesmo dia, hoje, 5 de novembro.

Hyuna e Dawn no lançamento de seus solos (reprodução/@Kpop_herald)

Hyojong, agora DAWN, e ex-E’Dawn, era o membro mais popular da Pentagon junto com Hui, e ambos faziam parte de um dos melhores projetos paralelos de kpop dos últimos tempos, a TripleH (Hyuna, Hui e Hyojong) ao lado de Kim HyunA (veja o vídeo abaixo e entenda o apelo). Quem acompanhava o grupo percebia a química de ambos e a Cube nunca pareceu se importar, inclusive usava isso a seu favor.

No entanto quando os idols assumiram o relacionamento, o tratamento da empresa foi no mínimo antiquado, e além de tirar ambos de circulação, não deixou nenhum se comunicar com o público. Os fãs se revoltaram com o tratamento, que reflete bastante o problema que é para os idols se relacionarem abertamente com outras pessoas. Embora E’Dawn estivesse ainda no início da sua carreira, HyunA é uma das maiores forças do kpop. Diferente, ousada, e polêmica para os padrões coreanos, ela é um nome conhecido dentro e fora do país, fez parte brevemente da incrível Wonder Girls e posteriormente de 4Minute, onde ela sempre foi o centro. Com esse background, e amizade com PSY, outro grande nome do kpop, ela foi contratada e levou Dawn junto. Esse talvez tenha sido o momento em que todos os fãs de kpop concordaram em algo: Psy, obrigada por ajudar o casal.

Hoje (5) além de coletiva de imprensa juntos para apresentação dos novos trabalhos, HyunA e DAWN lançaram seus MVs, Flower Shower e Money, respectivamente. Em Flower Shower, HyunA não quer ser apenas uma flor, mas o jardim inteiro. Com sua voz única, essa talvez seja a música que melhor represente a cantora, agora livre, criando seu próprio caminho – de flores e amor -, em um vídeo com uma ótima produção, repleto de visuais e coreografia interessantes. HyunA está a própria May Queen de Midsommar, versão contente e realizada.

HyunA criando seu próprio caminho de flores.

E servindo visuais incríveis, tanto na cenografia quanto nas roupas escolhidas.

FLOWER SHOWER
<img src=" class="wp-smiley" style="height: 1em; max-height: 1em;" />QUEEN HYUNA<img src=" class="wp-smiley" style="height: 1em; max-height: 1em;" />
She knows how its done pic.twitter.com/VgHiiI71Z8

— ☆♡♡☆♡♡☆♡♡☆ (@LillySm22216575) November 5, 2019

O interessante é ver que HyunA e DAWN seguiram caminhos completamente opostos artisticamente. Se estávamos num dream pop colorido e florido com ela, em MONEY entramos num universo paralelo, com dinheiro jogado por todos os cantos em uma música e ambiente que nos lembram do que o capitalismo há de pior. Hyojong sempre teve um visual meio junkie, e aqui isso vai ao extremo. Machucado, com bandaid como acessório – literalmente – e numa espécie de galpão Clube da Luta, ele nos explica como o dinheiro move a indústria, os idols, e a vida dele mesmo (quando ele precisava pedir para os pais). Entre varais de dinheiro e uma excelente coreografia, DAWN lembra que apesar de todos os prós, ele vai brilhar mesmo sem grana.

Interessante perceber como a felicidade de ambos é o centro das canções. Flower Shower é uma espécie de libertação de HyunA, com ela nos mostrando que ela criou sua própria felicidade apesar de tudo que ela teve que enfrentar (empresa, mídia, haters). E Dawn nos entrega uma jornada, mostrando os lados de uma indústria complicada, e no fim nos dizendo que tudo pode dar certo quando a pessoa tem liberdade de escolher.

 

]]>
0