Topo
K-Pop Pop Pop

K-Pop Pop Pop

GRL PWR: ReVe Festival Day 2, Everglow de volta e Lisa dançando Rosalía

Camila Monteiro

22/08/2019 15h48

Estaria esse blog virando um fansite das Red Velvet? Resposta: Ainda não, mas bem que poderia. Zoeiras à parte, faz pouco mais de uma semana que, em preparação ao retorno do ReVe Festival, resolvi revisitar a discografia inteira do grupo e revi todos os MVs que elas fizeram nesses últimos 5 anos. Esse exercício de sentar e ouvir tudo, desde o início, em ordem, organizando eras e entendendo melhor os conceitos é bastante interessante e traz novos significados para canções que a gente já gostava mas não tinha captado certas nuances, e é excelente para perceber que algumas músicas que a gente deixa pra trás podem não fazer tanto sentido quando saíram, mas em outro ano, tempo e espaço, elas funcionam bem mais. Se tem um disco que sempre foi bom e envelheceu melhor ainda, ele é Perfect Velvet (2017). É um grande álbum pop que continuará bom em 5, 10, 15 anos. Se você não ouviu, faça esse favor. Se já, ouça novamente. Kingdom Come é das melhores músicas já feitas no kpop.

Mas o post de hoje não é sobre isso – farei um especial na seção Rewind sobre essa obra, com todos os detalhes que o disco merece – e sim sobre The ReVe Festival – Day 2. O álbum lançado na última segunda-feira tem seis músicas, entre elas o lead single Umpah Umpah (falei especificamente sobre a faixa aqui). Abaixo temos um vídeo com Irene, Wendy, Seulgi, Yeri e Joy cantando uma versão lowkey, sentadas, mostrando o gogó de ouro:

O disco é uma grande evolução do Day 1, que foi levemente decepcionante com a fraca Zimzalabim e pouca divulgação do que realmente funcionou (Sunny Side Up e Milkshake, estou olhando para vocês). Já aqui, temos um álbum mais coeso, que me lembrou bastante o melhor das Little Mix. Aliás, existem muitos momentos que eu faço essa relação Little Mix e RV pois ambos os grupos são excelentes em harmonizações e atitude. Tanto Carpool quanto Love is the way parecem um misto de LM com Meghan Trainor melhorada. Jumpin' assim como Umpah Umpah é 100% jam kpopístico (inventei essa palavra agora sim), já imagino a coreografia em cada JUMPIN' JUMPIN'.

Ladies Night é uma mistura perfeita dos conceitos red e velvet do grupo. Revisita um pop mais antigo, com batidas e arranjo old school e que combina muito bem com o trabalho que as Red Velvet vêm criando. No entanto é na última música do disco, Eyes Locked, Hands Locked, que todas brilham intensamente. Eu tenho preferência pelas canções menos elaboradas, voltadas a voz, modulações e arranjo simples que deixa o grupo mostrar o talento vocal que elas possuem. Assim como Automatic e Kingdom Come, ELHL entrou na minha lista de músicas delas que eu amei logo de cara.

E o que falar sobre o retorno de Everglow??? Donas de uma das melhores estreias do kpop atual, com o ENORME bop que foi Bon Bon Chocolat (digito com os pés pois com as mãos estou fazendo os chifrinhos), as meninas retornaram com Adios. Goodbye, Au revoir, Adios. Uma música que te dispensa em três línguas diferentes no refrão não tem como não ser um hit. E é isso mesmo que elas nos entregaram:

Sim, eu, você e todo mundo que deu play na música, sabemos que Adios é MUITO parecida com Kill This Love, mas não é como se fosse a primeira nem a última vez que "coincidências" assim aconteceram no universo pop, portanto o que nos resta é dar play, aprender a coreografia e fazer um mashup das duas músicas, pois ambas tem coreografias e raps excelentes.

No vídeo acima podemos ver que EVERGLOW embora novata, está fazendo sucesso considerável na Coréia, pois os fanchants cantados pelos fanboys está bem intenso. Aliás, acho bastante peculiar e interessante ver os fanchants de homens em apresentações de grupos femininos, pois lembra muito grito de guerra de jogos de futebol, porém eles estão num programa de kpop, apoiando suas idols. Isso com certeza é um assunto que rende uma dissertação (estou no fim da tese portanto meu cérebro tá 100% acadêmico ultimamente), tanto a parte boa (fanchants, engajamento de homens em comunidades de fãs cuja maioria do público é feminino, como eles consomem a música, etc), quanto a parte creepy (homens seguindo meninas menores de idade pelas ruas para tirarem fotos).

De qualquer forma, EVERGLOW em pouquíssimo tempo já mostrou que tem uma força enorme, não só pelos dois grandes hits que elas lançaram, mas pelo combo todo: as performances ao vivo são ótimas, figurino impecável, videoclipes com uma produção acima da média, muita personalidade e bastante entrosamento entre as integrantes.

Além de Adios, elas lançaram outras duas músicas: Hush e You Don't Know Me. Nenhuma é marcante como Adios – escolheram bem o single – mas são b-sides bons que não comprometem. Hush é o pop com edm que todo disco de kpop parece ter obrigação de ter, quase uma cota. E You don't know me é claramente o segundo single possível, com um refrão bom que fica na cabeça (WHY CAN'T YOU SEE???) e que, mais uma vez, lembra BLACKPINK sim. O que é compreensível pois é uma fórmula que deu certo, faz sucesso e funciona internacionalmente muito bem, algo que, percebo, é também o caminho que EVERGLOW seguirá. Porém estamos ainda no começo dessa trajetória e só o tempo dirá como o grupo se estabelecerá no mercado.

Por falar em BLACKPINK, ontem a Lisa postou um vídeo dela dançado Malamente da (LA) Rosalía e ao invés de falar sobre, vou apenas pedir para que vocês assistam e tirem suas próprias conclusões desse grande momento. Que mulher.

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.