Topo
K-Pop Pop Pop

K-Pop Pop Pop

City Lights traz Baekhyun no seu melhor e bate recordes de vendas

Camila Monteiro

2011-07-20T19:18:13

11/07/2019 18h13

Baekhyun em seu disco de estreia solo (reprodução/SM Entertainment)

Ontem enquanto eu voltava para casa depois de um show incrível da Monsta X (em breve falarei sobre esse grande momento monbebe em minha vida), abri meu Spotify com um único objetivo: ser abençoada pela voz de Byun Baekyun em City Lights. E foi exatamente isso que aconteceu. Já falei anteriormente (especificamente aqui) sobre a minha expectativa em relação ao álbum, principalmente por Baek ser a minha voz preferida junto de Kyungsoo em um grupo de exímios vocalistas como é a EXO. Com seis músicas, City Lights é a síntese perfeita do talento dele dentro e fora do grupo: é atual, sofisticado, simples mas potente e cheio de carisma. Ele não inventa a roda, não existe nada totalmente fora da curva, grandes malabarismos vocais ou momentos apoteóticos e isso é um dos grandes acertos e valores do disco.

O álbum abre com UN Village (vídeo acima), primeiro single do disco e uma escolha bastante interessante considerando que existem outras faixas mais "fáceis" de serem ouvidas, portanto com mais potencial de se tornarem hits. Entretanto, UN Village é slow burn, é krnb (korean r&b) da melhor qualidade com arranjo e produção excelentes que mostram o melhor da voz de Baek. E o MV traduz isso perfeitamente. Logo que eu vi senti falta de uma performance maior, de uma coreografia, algo mais marcante. No entanto quando voltei horas depois para analisar novamente achei o vídeo todo um grande acerto. A simplicidade de ter Baekhyun dando um rolê por ai, se curtindo e fazendo a gente ter vontade de ir com ele até UN Village (que ao pesqusiar, descobri ser um lugar em Seoul). You and Me relax and chillin'. As cores – ou falta delas – e os ângulos são os grandes destaques do vídeo, combinados com as várias trocas de roupas. Agora que Baekhyun trabalha com moda, com sua coleção da Privé, os outfits ganham outra dimensão.

Depois do passeio em UN Village que demos com Baekhyun, e que dá o tom do disco, Stay Up nos deixa completamente in the zone. É r&b, soul, todos os sentimentos envolvidos e tem ótima participação do rapper Beenzino. Os backing vocals feitos pelo próprio Baek são incríveis e mostram a qualidade da voz dele, principalmente quando ele harmoniza com ele mesmo (!!!). A letra da música é autoexplicativa e assim como todo o disco, é bastante explícita. On and on and on nunca fez tanto sentido.

Dois jams depois caímos na música mais comercial e que logo de cara já grita hit: Betcha. Com um refrão fácil de pegar e com rimas pra lá de simples, a combinação de BETCHA, GETCHA e MET YA nunca soou melhor. A música faz a linha mais mainstream, feita para rádio e o diferencial é realmente a voz do Baekhyun. Apesar de eu saber que, musicalmente falando, Betcha não se compara com as músicas anteriores, assim que ela começa a tocar eu 1. já sei cantar e 2. quero dançar. Ou seja, cumpriu seu papel perfeitamente. Se ela for single, com certeza fará sucesso pois é daquelas músicas fáceis de gostar e funciona bem em playlists pop e urban.

Logo que Ice Queen começou já soou internamente meu alerta Lee Taemin. E quanto mais a música foi evoluindo, mais Cultura Taemin ela ficou. E isso é um grande elogio. O disco tem umas nuances bem sensuais, Stay Up e Ice Queen as que melhor se enquadram nessa categoria, e o arranjo e produção chamam atenção. Aqui novamente temos Baekhyun fazendo primeira, segunda, todas as vozes possíveis e existentes e ele é mais do que competente em todas. Se a voz de Baek foi o que me levou a prestar atenção na EXO, Diamond é o momento em que, vocalmente, ele brilha mais no álbum. Para as pessoas que gostam de falsete – eu sou muito facinha para falsete – aqui é o seu momento de fechar o olho e aproveitar quatro minutos de puro eargasm. É sem dúvidas a música mais cheia de alma, flertando com soul noventista, e é onde Baekhyun brinca com a qualidade e alcance vocal que ele possui. Atualmente é a minha música favorita do álbum.

E quando a gente acha que não tem como o disco ficar melhor, ele nos entrega uma bonus track que poderia muito bem ser title track: Psycho. GAME OVER. I'm a psycho I'm a psycho. Essa música é a certeza de que mesmo que ele não faça um MV, as fãs com certeza farão um. Psycho é a música mais grandiosa do disco, com um refrão marcado, uma batida mais frenética, momentos em que ele fala e muda o tom de voz, gritos, tudo isso com GAME OVER sendo repetida diversas vezes ao fundo. O título combina com a música e gosto muito da ideia de o álbum acabar em um tom completamente diferente do início. Psycho é um grande flex da parte de Baekhyun, que entrega uma música desse nível como fechamento desse primeiro excelente capítulo da carreira solo dele. O game over parece estar apenas começando.

E combinando a qualidade de City Lights com a popularidade dele, o disco já bateu vários recordes, sendo o principal o de álbum mais vendido (carreira solo) no primeiro dia, com mais de 400 mil cópias vendidas. Além disso ele ficou em #1 lugar no itunes em 66 países.

 

Chanyeol não perdeu a oportunidade de cumprimentar Baek, lembrando que em 12 dias eles devem se encontrar nos charts, pois ele vai lançar oficialmente sua unit com Sehun. O álbum sai dia 22 de julho e se chamará What a Life. Julho está sendo um grande presente para as exol-s.

Enquanto isso, sigo aqui ouvindo City Lights e aguardando performances ao vivo de UN Village – ou qualquer outra música do disco –  pois melhor que Baekhyun no disco, somente ele ao vivo. Resta torcer para a SM fazer uma promoção a altura de um álbum como esse.

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.