Topo
K-Pop Pop Pop

K-Pop Pop Pop

Conectados pelo som: As músicas mais tocantes de BTS

Camila Monteiro

03/07/2019 08h06

Ontem (2) BTS lançou álbum japonês e além de novas versões para Boy with luv e IDOL, tivemos a faixa-título Lights, que ganhou MV (abaixo). Tanto a música quanto o vídeo mostram uma das principais características e razão do sucesso enorme de Bangtan: a conexão entre eles. Na escuridão, somos luz e estamos conectados pelo som. Isso define bastante a relação deles com os fãs. Quando Namjoon canta "decida você mesmo o que significa ser feliz. Todo dia dê um passo para crescer", Jimin complementa com "É okay mostrar fraquezas de vez em quando. É okay ser você mesmo" e Jungkook finaliza "Não siga se enganando, tudo está conectado pelo som", fiquei bastante tocada pois a música sempre foi um refúgio para mim e sei que também é para muita gente. BTS nos lembra constantemente disso, desse apoio incondicional, da importância de parar e prestar atenção no que está acontecendo na nossa volta, nas pequenas coisas, em pessoas, sons, no nosso próprio reflexo.

Inspirada em Lights, fiz uma seleção com as músicas mais tocantes do grupo. Não foi uma tarefa fácil pois Bangtan tem um catálogo extenso com muitas músicas boas cujas letras falam diretamente com a gente, principalmente em momentos difíceis.

  • Young Forever – The Most Beautiful Moment in Life: Young Forever (2016)

Abro a lista com o combo que me derrubou no icônico show deles em Wembley (ontem fez exatamente 1 mês do show), com a performance surpresa de Young Forever cantada pelos fãs, seguida de Mikrokosmos. Young Forever é um epílogo do compilado homônimo que reúne as duas partes de The Most Beautiful Moment in Life. Esse período foi crucial na carreira do grupo e o momento em que eles começaram a despontar como grandes nomes do kpop. O momento de transição é refletido nas músicas – pré Era Love Yourself – que abordam as dores e dificuldades de crescer. Jimin já declarou que de vez em quando assiste vídeos das fãs cantando Young Forever e que se emociona muito. No show, ele assim como Jungkook, desabaram enquanto todo mundo cantava o mais alto possível "FOREVER EVER EVER WE ARE YOUNG".

  • Mikrokosmos – Map of The Soul: Persona (2019)

Logo depois de Young Forever e em meio a muitas lágrimas BTS cantou Mikrokosmos. Se a música já é feels no meio do disco, a sensação de ouvi-la num estádio com 70 mil pessoas, luzes na mão e todo mundo – grupo e fãs –  visivelmente emocionados tem todo um outro valor. Foi a ressignificação da canção da forma mais pessoal possível. Novamente eles nos lembram que são nosso apoio. Brilhe, sonhe, sorria. NANANANANANA

Mikrokosmos ainda trouxe outro momento inesquecível com Jimin e Jungkook assistindo a queima de fogos no fim do show:

  • 2!3! – Wings (2016) 

Quem nunca precisou contar até 3 para respirar fundo e se acalmar? 2!3! (Still Wishing There Will Be Better Days) é basicamente Bangtan nos oferecendo suporte, dizendo para contarmos até 3 e esquecermos – mesmo que momentaneamente – as coisas ruins que nos cercam. A música virou uma espécie de hino das Armys, e é cantada pelo fandom nos shows do grupo. Pelo valor sentimental e principalmente por estar presente num álbum icônico e soturno como Wings, 2!3! merece destaque por ser fora da curva e por tudo que representa para os fãs. Sempre conecto essa música a um enome cobertor de vó num dia de inverno. Ela é simples, eficiente e reconfortante.

  • HOME – Map of The Soul: Persona (2019) 

2!3! paved the way para o grande hit que é HOME, mi casa, su casa, a casa que BTS se tornou para milhares de fãs mundo afora. Namjoon explicou que escreveu a música pensando exclusivamente no fandom e quebrou a cabeça para encaixar uma letra que funcionasse bem com a música. Foi aí que o espanhol entrou na roda em forma de MI CASA. Sou bastante biased em relação a HOME, que não somente é minha música preferida do Persona, como se tornou uma das minhas favoritas de todo catálogo deles (e isso é muito significativo considerando o tamanho e nível dos álbuns anteriores). Gosto muito de como a letra de HOME mostra a evolução do nosso relacionamento fã/idol: eles já estão confortáveis o suficiente para admitirem que estão exaustos, que eles querem ir para casa e que essa casa somos nós, seja aonde for.

  • A Supplementary Story: You Never Walk Alone – YNWA (2017)

You never walk alone tem um nome bastante autoexplicativo e é uma espécie de complemento e fechamento do grandioso Wings. E essa não é uma tarefa nem um pouco fácil considerando a quantidade de músicas icônicas do catálogo do grupo que se encontram no disco. O significado de wings dentro do Universo Bangtan é enorme e até hoje existem referências as asas, sejam elas nossas, deles ou de ambos. Em YNWA, Hoseok canta que ele quer voar mas não tem asas, mas que as nossas mãos se tornam asas e ajudam ele a superar momentos sombrios. Mais uma vez existe a reciprocidade, o entendimento que o relacionamento que estabelecemos com eles, fã/idol, é uma via de mão dupla: eles estão lá para nos ajudar em momentos difíceis mas a gente tem um papel fundamental para eles seguirem lá. Essa caminhada nunca será solitária.

  • Magic Shop – Love Yourself: Tear (2018)

Ao pensar nas músicas que colocaria aqui me dei conta que não tinha nenhuma do meu álbum preferido de BTS, o Love Yourself: Tear. Foi então que lembrei de Magic Shop, desse lugar especial criado para os fãs do grupo buscarem ajuda. Essa narrativa ficou mais explícita e foi bem explorada no último Muster (evento de fãs) do grupo que aconteceu em junho. Nela temos Jimin como dono do magic shop, Jungkook indo buscar auxílio e o restante do grupo (Namjoon, Hoseok, Taehyung, Seokjin e Yoongi) como Doutores em suas habilidades mais marcantes: Namjoon é lógica e mente, Hoseok é corpo e dança, Taehyung é arte e fotografia, Seokjin é arte de comer e Yoongi de descansar. De forma bastante lúdica, os filmes do Muster Magic Shop mostram como a diversidade de Bangtan combinada com a união do grupo é a principal razão para o sucesso deles, não apenas como artistas mas principalmente como seres humanos. O fato de Jungkook ter escrito uma parte da música a torna mais especial. Infelizmente a música foi cortada da última tour, mas tive o prazer de cantar "I'LL SHOW YOU" em resposta ao "SO SHOW ME", na Love Yourself Tour, que ocorreu ano passado. É daqueles momentos que a gente não esquece.

  • Heartbeat – BTS World OST (2019)

Apesar de ter sido lançada há menos de uma semana, Heartbeat já figura como uma das músicas mais cheias de sentimentos que Bangtan já fez. E ela foi feita para um jogo, portanto a chance de vermos performance dela ao vivo é remota e isso é levemente triste. A força de Heartbeat, além da letra e melodia, é o vídeo que a complementa. Ao traçar um paralelo entre a vida que os membros provavelmente teriam em outras realidades e a trajetória atual deles como idols, temos o alinhamento dos planetas em imagens incríveis e belas nos falando sobre destino. Youniverse, Universe, my heart is on fire for your love. Não importa a timeline, BTS sempre estará conectado (vou ser obrigada a rever Your Name do Makoto Shinkai depois de tudo isso).

  • Spring Day – YNWA (2017)

Se eu tivesse que definir BTS em apenas uma única música, ela seria Spring Day, não só pela forma como ela representa várias qualidades do grupo mas principalmente por mostrar o  impacto que eles têm na vida das pessoas. O mv é bastante singular e se destaca pela história e por ter referências  – bastante artísticas –  sobre problemas sociais crônicos na vida dos coreanos. Spring Day é sobre perda e saudade, sentimentos universais que foram ilustrados e eternizados de forma bastante sensível no vídeo. Não a toa, a música já está há mais de 124 semanas no top 50 do Melon, um dos maiores charts musicais coreanos. Apesar de ter um vasto catálogo de músicas tocantes, Spring Day é a que melhor sintetiza o conceito de "conexão pelo som", que o grupo trouxe em Lights.

BOGOPSHIDA

 

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.