Topo
K-Pop Pop Pop

K-Pop Pop Pop

Rookie Monsters: novos grupos de k-pop que valem a pena conhecer

Camila Monteiro

15/03/2019 17h14

Stray Kids em foto promocional de Miroh (reprodução/twitter @stray_kids)

Todo ano diversos grupos de K-pop debutam mas são poucos os que marcam de verdade e conseguem conquistar seu espaço com vitórias nos programas semanais de música da Coréia (importantes para visibilidade com o grande público), turnês internacionais, vendas expressivas e fandom consolidado. Abaixo trago algumas bandas que debutaram entre 2018 e 2019 que considero valer a pena escutar e investir o tempo.

  • Stray Kids

Apesar de ter debutado em 2018, Stray Kids (ou SKZ) já tinha lançado no ano anterior Hellevator que depois entrou na Mixtape da banda e é um grande jam. Eu sou muito fã de rap lines e os stays (nome do fandom da banda) são abençoadíssimos nesse quesito. Chan, Changbin e Jisung (Han) são originalmente parte do trio de rap 3RACHA, onde eles produzem e escrevem todas as músicas. Além deles o grupo conta com outros 3 ótimos rappers. Stray Kids é essencialmente formada por rappers feat. uma vocal line sólida. A trilogia I am (NOT, WHO, YOU) é excelente e dá para perceber o envolvimento deles na produção. Stray Kids parece uma banda que já tá no mercado há um tempo pois possuem vários hits, performances ótimas ao vivo e uma boa base de fãs estabelecida. O próximo disco da banda sai no fim do mês e se chamará Miroh.

Faixas destaque: Hellevator, District 9, Hero's Soup (minha favorita), N/S (um grande jam) e I am you

 

  • (G)I-DLE

Jeon Soyeon. Esse é o motivo principal de eu achar IDLE (o G é mudo) um grupo cheio de potencial. Com apenas 20 anos ela não somente lidera o grupo como também escreve e produz a maioria das músicas. Além de ser figura central na própria banda ela já trabalhou com grandes nomes do k-pop como CL (ex 2NE1) e mais recentemente com KEY (SHINee). Porém um grupo não é feito de uma pessoa só e Soyeon tem ao seu lado outras cinco integrantes bastante talentosas (Yuqi, Soojin, Miyeon, Shuhua e Minnie). O grupo é super coeso, canta, dança e faz apresentações excelentes ao vivo. Elas lançaram dois EPs, um em 2018 chamado I am (sim, o povo do k-pop está em um constante estado de "ser") e o mais novo, lançado no fim de fevereiro, intitulado I made.

Faixas destaque: LATATA (um grande hino), HANN, MAZE (minha favorita)

 

  • ATEEZ

A primeira vez que eu vi ATEEZ  (se pronuncia 80s, eighties) em outubro do ano passado, mês que eles debutaram, eu fiquei extremamente surpresa com produção do MV (videoclipes são chamados de MV no k-pop). O grupo, que é da mesma empresa de Block B, tem oito membros: seis vocalistas e dois rappers. E foram os rappers – como sempre – que me fizeram ficar atenta a ATEEZ (risos, juro que não foi proposital). Mingi e Hoongjoong chamam atenção por serem ótimos rappers e extremamente bonitos. Aliás, estamos diante de uma banda de visuals. Todos os integrantes são belíssimos e talentosos. Apesar de eu achar Mingi ótimo foi Hoongjoong, assim como Soyeon em IDLE, quem me fez apreciar a banda de uma forma mais intensa. Ele além de líder da banda e compositor é excelente dançarino. Na verdade todos dançam muito. A vocal line também é extremamente talentosa e as músicas dão espaço para percebermos isso. O mais impressionante é que eles debutaram no fim de 2018 e já têm um fandom considerável – as Atinys – e dois EPs muito bons, Treasure ep 1: All to Zero e Treasure ep 2: Zero to One. A banda entrará em tour internacional em breve e todos os shows estão esgotados mostrando que o futuro do grupo é bastante promissor.

Faixas destaque: Treasure, Pirate King, HALA HALA, Say My Name e Desire (minha favorita)

 

  • TXT – TOMORROW X TOGETHER

Da mesma empresa que BTS, a Big Hit, TXT (lê-se Tomorrow By Together) é uma banda baby, que debutou há 10 (!!) dias. Sim, 10 dias. E por que ela está aqui? Bom, primeiramente por eu ter gostado muito do EP que eles lançaram e isso é o que considero mais importante para analisar se o grupo terá ou não sucesso no futuro. Fora isso, os meninos são extremamente carismáticos e em pouco tempo já mostraram que são ótimos dançarinos e performers. Ser da mesma firma que Bangtan é um peso e uma benção ao mesmo tempo pois todos os olhos estão sob eles, a pressão é grande mas ao mesmo tempo existe o apoio de muitas armys, o fandom mais ativo existente atualmente (de todos os gêneros musicais). O fato de eles terem debutado com uma pegada muito diferente da estreia de BTS foi ótimo para separar um do outro e evitar comparações que odiamos mas são inevitáveis. Esse momento inicial, onde a identidade do grupo ainda está sendo estabelecida é crucial para analisarmos o que podemos esperar de trabalhos futuros, e isso a Big Hit é extremamente inteligente. O primeiro single de TXT, CROWN, já faz uma conexão entre o menino com chifres (CROWN) e o menino com asas (referência a Wings, álbum já clássico de BTS), mostrando que essa narrativa ainda vai nos fazer criar muitas teorias e hipóteses para futuros comebacks. Em pouco tempo já consegui estabelecer um afeto pelos Textinhos (resolvi chamá-los assim pois tomorrow by together é grande demais) e espero que eles consigam trilhar seu próprio caminho nessa indústria complicada.

Faixas destaque: CROWN, Blue Orangeade, Cat & Dog (os latidos começam e eu passo mal)

 

Menção Honrosa

Dois grupos que ainda não possuem músicas suficientes para uma análise mais detalhada se eles vão funcionar ou não mas que já têm um fandom grande e considerável sucesso:

  • ITZY 

 

  • WayV (unit chinesa da NCT)

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.