Topo
K-Pop Pop Pop

K-Pop Pop Pop

7 solos femininos que deram muito certo

Camila Monteiro

19/07/2019 07h11

Seguir carreira solo, seja em boyband ou girlband, nunca é garantia de sucesso. O interessante no kpop é que a maioria das empresas lançam projetos solos dos membros com o grupo ainda em atividade, diferente do que estamos acostumados por aqui, quando carreiras solos são geralmente o motivo da separação dos grupos (estou olhando para você Justin Timberlake). A SM por exemplo, possui o projeto STATION, onde idols podem mostrar projetos solos e fazer colaborações com outros colegas, incluindo idols de outras empresas. Além de dar chance a criação de conteúdo que não necessariamente funcionaria nos conceitos dos grupos, é também uma forma eficiente de ver quem está preparado para lançar de fato uma carreira solo com disco completo, MV e uma possível tour.

Selecionei aqui 7 solos femininos que deram muito certo e que – na maioria dos casos – consolidaram a carreira de todas as envolvidas dentro do mercado de kpop:

  • TAEYEON – Why

Taeyeon é um case de sucesso em absolutamente tudo que faz. Líder, vocalista principal e rosto das Girls' Generation (SNSD em coreano), ela não somente se tornou um dos expoentes do kpop por fazer parte de um grupo revolucionário no gênero, como também teve sucesso com a unit TTS junto com Tiffany e Seohyun. Em 2015 ela foi a primeira SNSD a lançar carreira solo e, para a surpresa de ninguém, foi outro sucesso pois ela é extremamente competente em tudo que faz. Why foi uma das primeiras músicas fora do universo boyband que me conquistou e os projetos mais recentes dela são bastante experimentais, quase um indie pop coreano. Taeyeon é uma artista diferente e cada vez mais preocupada em abordar nas músicas sua saúde mental e dificuldades dentro da indústria.

  • JENNIE – SOLO

Que as BLACKPINK são uma grande força do kpop atualmente, principalmente internacionalmente, isso é inegável. O que eu não imaginava é que a primeira BP a lançar projeto solo seria a Jennie. E com uma música bastante autoexplicativa. Going SOLOLOLOLO. Tudo funciona em SOLO: a letra, os visuais circa Taylor Swift em 1989, a coreografia simples e eficiente, as locações belíssimas e principalmente Jennie mostrando que além de ser boa rapper também canta bem. O melhor de tudo é saber que ela está só começando e depois do sucesso enorme do single de estreia esperamos que YG renasça das cinzas depois de tanto escândalo e lance outros projetos solo dela (primeiro queremos um disco inteiro das BP, mas isso é pauta para outro post).

  • SUNMI – Noir

Lee Sunmi é uma das melhores coisas que aconteceram no kpop, não apenas pelo talento absurdo que ela possui mas principalmente por todas as escolhas que ela fez até então. Primeiro, que Wonder Girls era uma girlband fora da curva, muito à frente do seu tempo, com letras e conceitos ótimos que seguiriam sendo sucesso hoje. Segundo, que o ativismo de Sunmi nas redes sociais e em suas músicas é muito importante principalmente na sociedade em que ela está inserida. Noir, última música que ela lançou (vídeo abaixo) é um ótimo exemplo de como ela trabalha com assuntos difíceis e atuais (cultura do like, saúde mental, aparências) de uma maneira artisticamente interessante, misturando sons, cores e texturas. Sunmi é artista e entendida do craft. Além de bops ótimos para dançar ela também tem faixas indie seguindo a linha Carly Rae Jepsen que fazem a gente entender rapidamente o porquê de Lee Sunmi ser a grande artista que ela é, tudo isso com apenas 27 anos.

  • Hwa Sa – TWIT

Uma característica importante das mulheres do kpop atual é certamente a independência, o fato de que elas já não vendem apenas a ideia fofa, aegyo, comportada e submissa. E Hwasa é a personificação disso. Ela já é uma grande força dentro das Mamamoo, um dos melhores grupos femininos no quesito gogó de ouro. Além de ousar em suas roupas, Hwasa também já deu declarações polêmicas e já foi muito criticada por ter um pensamento livre e fora da curva dentro do conservadorismo coreano. No início do ano ela lançou seu projeto solo, TWIT, e foi um enorme sucesso, muito além do que estavam esperando. A letra, escrita por ela, é também uma crítica ao machismo e relações que já não funcionam mais. E ela brilha muito, cantando, dançando e sendo a diva que ela é. O único problema é que TWIT jamais sai da cabeça, basta ouvir uma vez para ficar cantando por dias I DON'T LIKE IT, NOBODY LIKES IT.

  • HyunA – Lip & Hip

Se tem alguém que paved the way para o girl power que vemos atualmente, esse alguém é Kim HyunA. Ela é a definição de ponto fora da curva, seja pela voz única – basta uma palavra para reconhecer que ela está cantando – pela sensualidade, conceitos, atitude e até mesmo namoro assumido (parece desimportante mas na Coréia isso é revolucionário). Hyuna fez sucesso não apenas sozinha, mas com 4Minute, Wonder Girls e Triple H (jamais superarei o fim dessa unit). Criticada por absolutamente tudo que faz, Hyuna é um exemplo de força mental e de ter dado a volta por cima várias vezes. Eu tenho uma admiração muito grande por ela, embora musicalmente ela não esteja dentro daquilo que mais gosto de escutar. No entanto seguir ela no instagram e acompanhar ensaios de dança, viagens pela Europa, fotos fofas com Edawn e o cachorro dela, trazem uma grande paz e eu recomendo.

  • CHUNG HA – Snapping

A grande rainha do momento, Kim Chung Ha, com apenas 23 anos já é um nome forte e crescente dentro do kpop. Ela já era sucesso dentro das I.O.I, girlband formada no popular reality show Produce 101. Logo após o fim do grupo em 2017 – vale lembrar que elas vão voltar para um comeback ainda esse ano – Chung Ha seguiu carreira solo e lançou vários jams excelentes como Rollercoaster e Gotta Go. Snapping (vídeo abaixo) é o último trabalho dela, ganhou vários #1 nos programas semanais coreanos e consolidou ela dentro do pop coreano. O que me vez acompanhar Chung Ha foram os vários vídeos que ela grava dançando (principalmente Ariana Grande). Ela dança muito, canta bem, é belíssima e extremamente carismática e fofa. Ao pisar no palco ela vira uma grande diva e é uma ótima performer. Ainda vamos ouvir muito o nome de Kim Chung Ha por aí pois a estrela dela brilha demais.

  • CL – HELLO BITCHES

Não existe nenhuma condição de fazer uma lista de mulheres marcantes do kpop sem ela, Lee Chaerin, ou como todos conhecemos, CL. Ela revolucionou a cena rapper no kpop não somente para as mulheres mas para todo o gênero. Polêmica, carismática, cheia de personalidade, flow e estilo, CL transcende labels. Fênomeno dentro das 2NE1, o sucesso dela ultrapassou continentes e espalhou o kpop para o mundo com a excelente e atemporal I am the best (lembrei da Emma Stone cantando). Hello Bitches é uma espécie de cartão postal e resumo do que CL é: The baddest female (que também foi o nome do disco de lançamento da carreira solo dela em 2013). Se Jennie, Lisa, Soyeon e outras tantas rappers existem atualmente é porque Chaerin existiu e escancarou as portas da rapper feminina empoderada.

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.