Topo
K-Pop Pop Pop

K-Pop Pop Pop

5 motivos para jamais esquecer Jungkook no 5.º Muster Magic Shop em Busan

Camila Monteiro

2018-06-20T19:10:08

18/06/2019 10h08

Dois dias se passaram e não somente a minha timeline do twitter e indicações do youtube, como também a quantidade de imagens que salvei, indicam que Jeon Jungkook causou um grande impacto no último fim de semana (15 e 16) nos dois shows do quinto Muster de BTS em Busan. E imagino que a cidade tenha sido um fator crucial para essa magia coreana – o show acertadamente se chama Magic Shop – ter acontecido já que Jungkook nasceu lá e se autodenominou Príncipe de Busan (sempre bom lembrar que Jimin nasceu lá antes).

Existem várias razões para ser fã de JK mas ultimamente eu sinto que tudo isso se multiplicou e desde o fim do ano passado (dezembro +-) que ele vem dificultando bastante a vida das Armys. Ainda não decidi se é o combo amadurecimento, crescimento e personalidade aflorando, se é o fato de os talentos dele se solidificarem e aumentarem cada vez mais, ou tudo isso junto e misturado (provavelmente). Na minha experiência pessoal, ter visto ele literalmente na minha frente – eu fiquei muito perto dessa vez no show – foi a rasteira que eu precisava para admitir, enfim, que minha admiração por ele se equipara com a minha grande fada Park Jimin. Não sei se é porque ano passado ele estava machucado nos meus shows (ele se machucou horas antes do primeiro show de Londres que eu fui) e esse ano em Wembley ele voltou com sangue nos olhos, só sei que a força dele no palco foi tanta que eu fiquei consideravelmente impactada.

JK em Busan (reprodução/twitter @madein1997_jk)

Desde então eu estava bastante ATENTA (em caps lock mesmo) ao poder que esse novo JK, versão mais adulta, livre e mais carismática estava exercendo na minha pessoa. Até que chegou o Muster. Bom, o Muster é um evento anual feito para as fãs de BTS. Não à toa é chamado Muster, que significa reunião de tropas, as Armys (parabéns aos envolvidos). Todo ano o Muster entrega conteúdo de altíssima qualidade, com performances inéditas, VCRs, jogos e conversas no palco, porém o Muster de 2019 em Busan foi especial. Não somente por ser na terra de Jimin e Jungkook, reis de Busan, mas principalmente pela temática – Magic Shop – e SET LIST (!!!! nem todas as exclamações definem o quanto essa set list é excelente). HOME, Love Maze, Tomorrow, Pied Piper, Dimple, Ddaeng, a lista de músicas ótimas que não estão na tour mas abrilhantaram esse evento não acaba.  E para completar, Jungkook aconteceu. Seja a volta dele como rapper ou os cabelos novos – e longos -, eu trouxe aqui 5 razões para jamais esquecermos de Busan/Magic Shop Muster Jeon Jungkook:

  • Cabelos Longos

JK e seu cabelo comprido (reprodução/twitter @blacknwhite_km)

O impacto Busan JK começou já logo de cara com o cabelo que ele tava usando. Quem acompanha Bangtan sabe que Jungkook apesar de já ter tido vários comprimentos de cabelos e algumas cores, não é dos membros que mais ousa (Jimin, Taehyung e Yoongi já usaram todas as cores possíveis e imagináveis). Jungkook inclusive já deu declarações que prefere ficar com o cabelo natural pois dá muito trabalho pintar. Faz uns meses que ele apareceu com o cabelo mais longo e rolou um surto coletivo no fandom mas durou apenas dois dias pois em seguida foi cortado. O retorno de JK com cabelos longos agora teve um impacto ainda maior e ele disse na última live que pretende deixar crescer ainda mais. Boa sorte para todos nós.

A melhor parte foram as edits dele com músicas de bandas de rock/indie por causa dos cabelos desgrenhados:

Primeiro temos JK com uma das minhas músicas preferidas da vida, 505 de Arctic Monkeys:

Aqui temos ele com Daddy Issues (combinou muito mais do que eu imaginava).

E finalmente 1975. Eu consigo imaginar Matt Healy assistindo isso e dando like no twitter.

  • RAPPER JK 

Bom, o que dizer da volta do rapper JK???? Primeiro é importante salientar o grande momento que foi DDAENG aparecer na setlist. As fãs já estavam felizes só por isso. Agora, colocar a vocal line para cantar a parte da rap line foi uma sacada genial que causou uma comoção enorme pois ninguém imaginou que seria possível. Jimin e Jin cantando a parte do Hoseok (J-Hope) foi engraçado e fofo, Taehyung – maior stan de ddaeng e da rap line existente – cantando a parte do Yoongi (Suga) aqueceu o coração mas nada se compara ao verso final do Namjoon cantado pelo Jungkook. Seja porque é naturalmente o auge de DDAENG, a parte do Namjoon é a mais esperada da música e ver eles dois começando juntos e depois JK mostrando que poderia ser um excelente rapper e nos lembrando dos velhos tempos foi certamente um dos grandes destaques do Muster desse ano.

    • Pied Piper & Dimple

Pied Piper é uma das minhas músicas preferidas de todo catálogo de BTS e por alguma razão  – e para minha tristeza – nunca entrou em setlist de tour nenhuma. A letra da música basicamente manda as fãs irem estudar/trabalhar e esquecer um pouco deles enquanto eles fazem body rolls e rebolam no palco. Injusto? Sim. Melhor decisão? Com certeza. E dessa vez tivemos o fator Jungkook com cabelos ao vento, alisando o microfone e cantando I'm taking over you. Imagens são melhores que qualquer coisa que eu diga e tenho provas:

Como se Pied Piper não fosse o suficiente, a vocal line resolveu fazer uma performance de Dimple que eu, você e todo mundo conhece pelo nome que deveria ser, ILLEGAL (a coreografia é realmente ilegal). Bem aqui eu lamentei pois Dimple era para ter entrado na tour no lugar de The Truth Untold – que eu amo muito, mas que é só sofrimentos ao vivo – mas acabou sendo substituida. Fomos privadas de ver essa high note de Jungkook combinada com uma coreografia icônica que começa com eles apontando pras covinhas e acaba com os quatro sarrando no chão no maior estilo Magic Mike. Veja com seus próprios olhos.

    • Namkook

Existem muitas relações e dinâmicas bonitas e interessantes dentro de BTS mas talvez nenhuma delas tenha o valor e importância do duo Kim Namjoon e Jeon Jungkook. É bastante tocante ver o amor, carinho e admiração que JK tem por Namjoon, seguidamente lembrando a gente que ele só entrou no grupo pois já era fã do rapper. Ele inclusive negou outras várias agências, bem mais conhecidas do que a Big Hit na época, só para fazer parte do grupo com Namjoon. E no Muster, Jungkook mais uma vez declarou todo seu amor, ganhou abraço e cantou DDAENG junto. Ser fã dos membros do seu próprio grupo é essencial para dar certo e Namkook é a prova viva disso. Que destino feliz.

    • Vlive com Vinho

Destino esse que foi explicado e contemplado por Jungkook em uma das lives mais icônicas que ele já fez nesses seis anos de Bangtan. Logo após o último show do Muster (16), JK entrou ao vivo no VApp (app que idols costumam usar constantemente para se comunicar com os fãs), abriu um vinho e ficou cerca de 50 minutos conversando com as fãs. Detalhe que o vídeo foi visto simultaneamente por mais de 6 milhões de pessoas. Além de muito falante – algo atípico para ele – e contente, Jungkook falou animadamente sobre comida, como o delivery na Coréia é superior por ser 24 horas, que ele pretende deixar o cabelo crescer – ele inclusive deu 3 opções de tamanho – e que ele acredita que o destino dele já está todo traçado fazendo a linha maktub. Tudo isso regado a várias taças de vinho tinto (a cada servida ele batia com a taça no celular para comemorar com as fãs).

Jungkook e seu vinho (reprodução/Vapp)

Jungkook tem tanto poder (ele fez um amaciante da marca Downy esgotar depois que ele comentou numa live que era o produto que ele usava nas roupas dele) que a distribuidora de vinhos na Coréia fez propaganda do vinho que ele tomou durante a live. Nem preciso dizer que em poucas horas o vinho esgotou no site. Isso é Cultura Jeon Jungkook.

Depois desses cinco grandes momentos do fim de semana Muster em Busan vale lembrar que nesse próximo fim de semana teremos tudo de novo outra vez, agora em Seoul e com transmissão ao vivo, com direito a várias câmeras e ângulos. O único problema é que a transmissão é paga e custa cerca de 22 dólares (aqui está o link para quem quiser comprar). Pagar ou não pagar, eis a questão??

 

 

Sobre a autora

Camila Monteiro é jornalista e estudante de doutorado em música, mídia e fandoms. Ama cultura pop e é muito fã de Bangtan. Sua vida se divide em antes e depois que ela viu Park Jimin na sua frente.

Sobre o blog

Nesse espaço discutiremos o Universo Kpopper: fandoms, bandas, debuts, disbands, MVs, álbuns, tours, coreografias, Coréia e tudo que o K-Pop nos oferece. Entre visuals, rappers e vocalistas, ultimates e bias wrecker estabelecido(a)s, vamos refletir sobre as diferentes gerações do pop coreano, a influência na moda, beleza, cultura e como o K-pop muda a vida das pessoas.